ONU destinará 20 toneladas de alimentos para 40 mil deslocados internos na República Democrática do Congo

Suprimentos serão transportados para a cidade de Punia, uma das áreas mais difíceis de se alcançar no leste do país.

Deslocadas pelo conflito, estas mulheres esperam na fila para o vale-alimentação na aldeia de Minova, no Leste da RDC. Foto: PMA / Martin Penner

O Programa Mundial de Alimentos (PMA) anunciou nesta sexta-feira (15) que vai levar 20 toneladas de suprimentos alimentares emergenciais para pessoas recentemente deslocadas que estão na cidade de Punia, na República Democrática do Congo (RDC), uma das áreas mais difíceis de se alcançar na parte leste do país.

O abastecimento de alimentos, que foram transportados de Goma nos últimos dois dias, irá alimentar algumas das 40 mil pessoas que fugiram de suas casas nas últimas semanas por conta de combates entre os rebeldes Mai Mai e unidades do exército congolês em uma área de mineração na fronteira das províncias de Kivu do Norte e Maniema. A maioria dos deslocados vive com famílias que têm recursos limitados.

“Trazer a assistência alimentar a Punia é caro e também representa um imenso desafio logístico”, disse o Representante do PMA na RDC, Martin Ohlsen. “Mesmo depois do transporte aéreo da comida, não há nenhuma instalação de armazenamento adequada na pista aérea e a estrada para Punia é uma faixa de 18 quilômetros de extensão com muita lama. Para o transporte, temos que contar com dois caminhões antigos e enferrujados”, completou Ohlsen.

Crises simultâneas estão afetando as cinco províncias no leste da RDC, onde diferentes grupos armados lutam para expandir suas zonas de controle. Segundo o Escritório da ONU de Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA), existem cerca de 2,6 milhões de deslocados internos no país.

O PMA já distribuiu cerca de 800 mil rações alimentares aos deslocados internos das cinco províncias do leste da RDC entre o lançamento de sua operação de emergência, em setembro de 2012, e o final do mês passado.