ONU destaca iniciativa brasileira de voluntariado para melhorar governança municipal

Novo relatório do Programa de Voluntários das Nações Unidas (VNU) realiza a primeira pesquisa global sobre a contribuição de voluntários para uma melhor governança. Iniciativa brasileira que ajuda a combater a corrupção ganhou destaque no documento.

Stepanka Pechackova, jovem voluntária da ONU trabalha como oficial juvenil no setor de comunicação e divulgação no Programa de Voluntários das Nações Unidas (VNU) e no Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), na Mongólia. Foto: VNU

Stepanka Pechackova, jovem voluntária da ONU trabalha como oficial juvenil no setor de comunicação e divulgação no Programa de Voluntários das Nações Unidas (VNU) e no Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), na Mongólia. Foto: VNU

Voluntários têm exercido um papel essencial em garantir governos mais responsáveis e abertos a responder aos seus cidadãos, mas segundo o Programa de Voluntários das Nações Unidas (VNU), seu potencial está seriamente subvalorizado.

O relatório Estado do Voluntariado no Mundo 2015 é a primeira pesquisa global realizada sobre a contribuição de voluntários para uma melhor governança, um pré-requisito para o sucesso das novas metas de desenvolvimento sustentável a ser acordado nas Nações Unidas em setembro.

Os “Observatórios Sociais”, uma iniciativa de voluntários brasileiros, aparece no relatório como um exemplo de ação voluntária para monitorar os gastos municipais e acabar com a corrupção. A publicação cita que esse esforço coletivo já ajudou a frear o desvio de quase 100 milhões de dólares dos cofres públicos.

“Ao criar ambientes para que as pessoas doem seu tempo, é possível usar suas habilidades e conhecimentos para o bem comum na esfera de governo”, disse o coordenador executivo do VNU, Richard Dictus, na última sexta-feira (05). “A mudança irá acontecer junto com um grande engajamento civil, ampliando o número de pessoas que têm voz, que podem participar e que podem assegurar que atores do governo prestem contas”, continuou Dictus.

Existem mais de 1 bilhão de voluntários mundialmente, a maioria deles trabalhando em seu próprio país. Com base na evidência de países tão diversos como o Brasil, Quênia, Líbano e Bangladesh, o relatório da ONU intitulado ‘Transformando a Governança’, mostra como pessoas comuns estão doando seu tempo, energia e habilidades para melhorar a forma como eles são governados em nível local, nacional e global.