ONU: 1,2 milhão de ucranianos estão internamente deslocados e mais de 777 mil deixaram o país

Menina e sua mãe aguardam por suprimentos higiênicos após deixarem sua casa em Donetsk para evitar bombardeio. Foto: UNICEF Ukraine/Pavel Zmey

A situação da saúde para os deslocados internos e outros impactados pelo conflito se deteriora na Ucrânia e preocupa o Escritório das Nações Unidas de Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA).

Stéphane Dujarric, porta-voz do secretário-geral da ONU, disse que no final de março o Ministério de Proteção Social da Ucrânia reportou cerca de 1,2 milhão de pessoas internamente deslocadas em todo o país. Além desse número, outros 777 mil ucranianos deixaram o país, de acordo com a agência de refugiados da ONU (ACNUR).

De acordo com o OCHA, há muitos casos de doenças cardio-vasculares, saúde mental e infecções respiratórias agudas. Além de aumento nos casos de subnutrição e diarreia em áreas não controladas pelo governo.

O OCHA também destacou a necessidade urgente de educação sobre o risco de minas, à medida que explosivos não detonados estão provocando cada vez mais perdas de vida. O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) realçou que pelo menos 109 crianças foram feridas e 42 mortas por minas terrestres e outros artefatos explosivos em Donetsk e Luhansk desde março de 2014.

Apesar das grandes necessidades, o financiamento para operações humanitárias continua a ser muito baixo, com apenas 18% dos 316 milhões de dólares necessários para 2015 terem sido financiados ou prometidos até agora.