ONU defende certificação de produtos brasileiros para mercado global de saúde sexual e reprodutiva

O representante do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil, Jaime Nadal, voltou a defender o potencial do país em oferecer produtos de saúde sexual e reprodutiva para agências da ONU — que distribuem métodos anticoncepcionais em nações em desenvolvimento e crises humanitárias.

Em Brasília (DF), o dirigente participou na terça-feira (9) do lançamento — para a legislatura de 2019 — da Frente Parlamentar da Indústria Pública de Medicamentos.

Distribuição de preservativos em São Paulo. Foto: Agência Brasil/Rovena Rosa

Distribuição de preservativos em São Paulo. Foto: Agência Brasil/Rovena Rosa

O representante do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil, Jaime Nadal, voltou nesta semana a defender o potencial do país em oferecer produtos de saúde sexual e reprodutiva para agências da ONU — que distribuem métodos anticoncepcionais em outras nações em desenvolvimento e em crises humanitárias.

Em Brasília (DF), o dirigente participou na terça-feira (9) do lançamento — para a legislatura de 2019 — da Frente Parlamentar da Indústria Pública de Medicamentos.

Com a presença do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, o evento na Câmara dos Deputados discutiu o fortalecimento e o desenvolvimento dos laboratórios públicos brasileiros.

Jaime Nadal explicou que essas instituições precisam de uma pré-qualificação para poderem vender seus produtos a agências da ONU. Essa certificação é feita pelo UNFPA e pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

“A pré-qualificação dos insumos de laboratórios brasileiros em saúde sexual e reprodutiva permitiria a inclusão de produtos em nosso catálogo, ampliando a sua participação no mercado internacional”, disse o dirigente.

O fundo das Nações Unidas ocupa uma posição estratégica no fornecimento mundial de produtos de saúde sexual e reprodutiva, como preservativos femininos e masculinos e dispositivos intrauterinos — os DIUs — de cobre.

“Ampliar a disponibilidade de insumos é, para o UNFPA, uma maneira de dar melhor resposta às demandas dos países, para garantir acesso universal a insumos de qualidade, garantindo o direito à saúde para aqueles que mais precisam deles”, completou Nadal.

Frente Parlamentar

A Frente Parlamentar é composta por mais de 200 deputados e é coordenada pelo ex-ministro da saúde, o deputado Ricardo Barros (PP-PR). A associação de parlamentares visa debater desafios e políticas públicas do Sistema Único de Saúde (SUS).

“O desafio é aumentar o acesso e diminuir o custo dos medicamentos no Brasil. Nós vamos discutir ao longo deste ano a política de desenvolvimento dos laboratórios no país”, afirmou Barros.


Comente

comentários