Crise humanitária e violência ameaçam Darfur, no Sudão, alerta ONU

No total, já foram registradas 55 ações violentas e ataques contra membros da sociedade civil recentemente. Insegurança e restrições impostas por forças do governo, dos grupos armados e das milícias dificultam atuação da UNAMID.

A região de Darfur, no Sudão, continua vivendo em condições precárias, por conta de conflitos intermitentes, ações violentas entre comunidades e uma grave crise humanitária, afirmou o sub-secretário-geral da ONU para as operações de paz, Hervé Ladsous, ao Conselho de Segurança nesta quinta-feira (04).

A insegurança e as persistentes restrições impostas por forças do governo, dos movimentos armados e dos grupos de milícia continuam a dificultar a atuação da Operação Híbrida da União Africana e das Nações Unidas em Darfur (UNAMID), ressaltou Ladsous.

No total, já foram registradas 55 ações violentas e ataques contra membros da sociedade civil recentemente – das quais 16 foram alegadamente executados por milícias árabes, 23 por forças governamentais e outras 16 por elementos armados desconhecidos.

A UNAMID continua trabalhando em parceria com agências humanitárias para facilitar o oferecimento de assistência a comunidades vulneráveis na região. Além disso, a ONU já instou repetidamente todos os lados a concluir negociações a favor de um cessar-fogo permanente e de um acordo de paz abrangente.