ONU cria grupo para coordenar combate à resistência antimicrobiana

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

As Nações Unidas anunciaram na quinta-feira (16) a criação de um grupo de coordenação para o combate à resistência antimicrobiana. Entre os integrantes do grupo de 27 pessoas está Jarbas Barbosa da Silva, presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

A resistência antimicrobiana ocorre quando microrganismos (tais como bactérias, fungos, vírus e parasitas) mudam quando expostos a drogas — tais como antibióticos, antifúngicos, antivirais, antimaláricos. Microrganismos que desenvolvem resistência são muitas vezes chamados de “superbactérias”.

Vice-secretária-geral Amina Mohammed (esquerda) fala a jornalistas durante coletiva sobre resistência antimicrobiana. Ela foi acompanhada da diretora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Margaret Chan. Foto: ONU/Mark Garten

Vice-secretária-geral Amina Mohammed (esquerda) fala a jornalistas durante coletiva sobre resistência antimicrobiana. Ela foi acompanhada da diretora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Margaret Chan. Foto: ONU/Mark Garten

As Nações Unidas anunciaram na quinta-feira (16) a criação de um grupo de coordenação para o combate à resistência antimicrobiana, que será presidido pela sub-secretária-geral Amina Mohammed e pela diretora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Margaret Chan.

Entre os integrantes do grupo de 27 membros está Jarbas Barbosa da Silva, presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

“Enquanto entramos na era do desenvolvimento sustentável, gostaria de enfatizar que a resistência antibacteriana realmente representa uma importante ameaça para a conquista dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), particularmente nos países em desenvolvimento”, disse Mohammed a jornalistas na sede da ONU em Nova Iorque.

A resistência antimicrobiana ocorre quando microrganismos (tais como bactérias, fungos, vírus e parasitas) mudam quando expostos a drogas — tais como antibióticos, antifúngicos, antivirais, antimaláricos. Microrganismos que desenvolvem resistência são muitas vezes chamados de “superbactérias”.

Como resultado, afirma a OMS, os medicamentos se tornam ineficazes e as infecções persistem no corpo, aumentando o risco de disseminação.

Mohammed disse que a criação de um grupo para combater o fenômeno e orientar os esforços globais nesse sentido é um sinal de que os Estados-membros estão levando tal ameaça a sério.

Em setembro, os países adotaram uma declaração política da reunião sobre resistência antimicrobiana com um pedido para que o secretário-geral da ONU criasse tal órgão.

A chefe da OMS disse que a resistência a antibióticos já está prolongando doenças no mundo todo, e a declaração política foi um compromisso vital para combater esse problema globalmente.

O grupo irá produzir um relatório para o secretário-geral da ONU a ser apresentado à reunião da Assembleia Geral em setembro de 2018.


Mais notícias de:

Comente

comentários