ONU: Conhecimento indígena é fundamental para cumprir as metas de biodiversidade global

“Há milênios, os povos indígenas e as comunidades locais têm sido os guardiões da biodiversidade, mas seus direitos nem sempre foram reconhecidos”, disse o diretor executivo da Convenção sobre Diversidade Biológica.

Pessoas que vivem nas florestas indígenas da República do Congo. Foto: UNFPA

Pessoas que vivem nas florestas indígenas da República do Congo. Foto: UNFPA

O conhecimento e as práticas tradicionais dos povos indígenas e comunidades locais são fundamentais para a preservação da biodiversidade e para o desenvolvimento sustentável, disse o diretor executivo da Convenção sobre Diversidade Biológica, o brasileiro Bráulio Ferreira de Souza Dias, durante a 12ª Conferência das Partes da Convenção das Nações Unidas sobre Diversidade Biológica (COP-12).

“O trabalho coletivo realizado pelos grupos indígenas e comunidades locais representa uma importante contribuição para alcançar os principais objetivos da Convenção Sobre Diversidade Biológica e as metas de Biodiversidade de Aichi”, disse Dias, no evento que está sendo realizado em Pyeongchang, na Coreia do Sul.

“Há milênios, os povos indígenas e as comunidades locais têm sido os guardiões da biodiversidade, mas seus direitos nem sempre foram reconhecidos”, disse ele. “Nós precisamos insistir para que os governos os reconheçam, bem como os seus direitos exclusivos sobre a terra e os recursos naturais”, acrescentou.

Na ocasião, o secretário executivo também mostrou seu apoio ao relatório “Resumo Político das Metas de Aichi”, do Consórcio ICCA, divulgado nesta terça-feira (07). O documento descreve como as comunidades indígenas podem contribuir para atingir cada uma das metas de Aichi, que incluem reduzir pela metade a taxa de perda de habitat, promover a expansão de terras protegidas e áreas marinhas, evitar a extinção de espécies e restaurar, pelo menos, 15% dos ecossistemas degradados até o ano de 2020.

“Precisamos dar continuidade a este relatório e ver como podemos promovê-lo e demonstrar suas contribuições para a implementação de cada uma dessas metas, bem como o valor econômico desses esforços”, disse Dias, acrescentando que muitos países já estão trabalhando sobre estas questões.