ONU confirma transferência de materiais de construção em Gaza e pede ação contra crise de energia

Os materiais, que receberam permissão do governo de Israel para terem a transferência retomada, são destinados a projetos críticos de construção como escolas, habitação social e instalações de água e saneamento na região.

Prédio público em Gaza atingido por bombardeio israelense. Foto: ONU/Shareef Sarhan

Prédio público em Gaza atingido por bombardeio israelense. Foto: ONU/Shareef Sarhan

O governo de Israel decidiu retomar a transferência de materiais de construção para projetos das Nações Unidas em Gaza, confirmou nesta segunda-feira (9) o enviado da ONU para o Oriente Médio, destacando a urgência de abordar necessidades dos palestinos no território, como energia.

“As Nações Unidas estão implementando um pacote no valor de 500 milhões de dólares de projetos críticos de construção como escolas, habitação social e instalações de água e saneamento em Gaza”, disse Robert Serry, coordenador especial da ONU para o Processo de Paz no Oriente Médio, em uma declaração nesta segunda-feira (9), confirmando a transferência de materiais.

Ao mesmo tempo, declarou que a ONU espera que uma solução seja encontrada rapidamente para a situação particularmente urgente da energia e pede a ajuda da comunidade internacional a este respeito.

O fornecimento de energia tem sido severamente limitado para os 1,7 milhão de moradores em Gaza desde que a única usina de energia na região foi desligada devido a uma escassez crítica de combustível em 1o de novembro, de acordo com o Escritório das Nações Unidas de Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA).

A eletricidade é fornecida através de linhas de alimentação israelenses e egípcias, mas a usina de energia de Gaza fornece aproximadamente 30% da oferta total da região, disse o escritório.

Em sua declaração, Serry destacou que a questão de energia, bem como água e o setor privado de construção, deve ser tratada sem demora: “Agora é a hora para aqueles considerando uma contribuição avançarem com urgência e de forma decisiva”.

Funcionários da ONU pediram repetidamente o fim do bloqueio imposto por Israel a Gaza, que continua a ter um impacto humanitário sério sobre civis e perpetua uma situação insustentável e inaceitável para a população do território.