ONU condena violência na República Centro-Africana e pede diálogo

Representante das Nações Unidas teme retrocesso na consolidação de paz do país: “O diálogo e a reconciliação são a única forma de a República Centro-Africana enfrentar a crise”.

Membro da força de paz de Marrocos servindo com a Missão Multidimensional Integrada de Estabilização na República Centro-Africana em Bambari. Foto: ONU/Catianne Tijerina

Membro da força de paz de Marrocos servindo com a Missão Multidimensional Integrada de Estabilização na República Centro-Africana em Bambari. Foto: ONU/Catianne Tijerina

O representante especial do secretário-geral das Nações Unidas para a República Centro-Africana, Parfait Onanga-Anyanga, condenou na terça-feira (27) o uso de violência para resolver divergências no país e pediu aos centro-africanos para “evitar um aumento da violência com sérias consequências”.

A missão da ONU no país, a MINUSCA, já havia condenado o ataque da segunda-feira (26) na capital, Bangui, contra uma delegação que participava de consultas sobre o processo político. Uma pessoa foi gravemente ferida e ao menos têm seu paradeiro desconhecido.

O representante da ONU teme um retrocesso na consolidação de paz no país. “A violência nunca será a solução; o diálogo e a reconciliação são a única forma de a República Centro-Africana enfrentar a crise”, afirmou Onanga-Anyanga.