ONU condena violência contra manifestantes nas Maldivas

O Porta-voz do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos, Rupert Colville, condenou hoje (17) a violência com que manifestantes foram recebidos nas Maldivas, neste fim de semana. “Estamos preocupados com relatos de violentos protestos no fim de semana nas Maldivas e uso excessivo da força pelas forças de segurança em resposta”, afirmou o ACNUDH em nota. A brutalidade contra manifestantes foi capturada por câmeras.

Segundo a ONU, houve “uso aparentemente deliberado e desnecessário de algum tipo de spray no ex-presidente Nasheed”, além da “condução de veículos da polícia em alta velocidade contra a multidão de manifestantes”.

“Tais ações merecem investigação imediata e uma ação firme deve ser tomada pelas autoridades contra os responsáveis pelo uso excessivo da força. Apelamos a todas as partes a abster-se de violência e criar condições para o diálogo político e a reconciliação”, afirmou Colville por meio do comunicado.

“Notamos relatos de acusações feitas contra o ex-presidente Nasheed em relação à sua conduta no cargo, e salientamos que tais assuntos devem ser tratados com respeito integral aos direitos do devido processo legal e as garantias de um julgamento justo garantidos pela Constituição das Maldivas e pelas obrigações dos tratados de direitos humanos internacionais”.

Em novembro de 2011, a Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, Navi Pillay, visitou o país e reconheceu “avanços significativos” durante os primeiros anos de sua transição para a democracia. Ela declarou, no entanto, que ainda faltava uma “grande lacuna entre a retórica e a realidade”.