ONU condena retaliação que matou civis na Síria

Dezenas morreram no fim de semana. Autoridades podem ser responsabilizadas sob lei internacional de direitos humanos por todos os atos de violência contra a população.

Secretário-Geral, Ban Ki-moon, conversa com o presidente sírio Bashar al-AssadO Secretário-Geral, Ban Ki-moon, expressou neste domingo (31/07) sua profunda preocupação com os relatos de que centenas de manifestantes foram mortos ou feridos na cidade de Hama e em outras regiões da Síria durante o fim de semana.

Ele condenou veementemente o uso da força contra civis e apelou ao Governo da Síria para que pare imediatamente os atos de violência.

Ban reiterou que autoridades sírias têm a obrigação de respeitar os direitos humanos, incluindo a liberdade de expressão e o direito de manifestação pacífica. Ele instou o Governo a dar atenção às legítimas aspirações do povo.

“O Secretário-Geral lembra as autoridades sírias que elas podem ser responsabilizadas sob a lei internacional de direitos humanos por todos os atos de violência que perpetrarem contra a população civil”, aponta comunicado da ONU.

Segundo reportagens, forças de segurança sírias mataram dezenas de pessoas em Hama. Autoridades disseram que os soldados foram enviados à cidade para remover barricadas erguidas pelos manifestantes.