ONU condena recente onda de atentados terroristas no Iraque

Ataques reivindicados pelo ISIL deixaram quase 50 mortos. Secretário-geral das Nações Unidas pediu ao povo iraquiano que “sejam rejeitadas essas tentativas de vender o medo”.

Foto: IRIN

Foto: IRIN

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, condenou os recentes ataques terroristas em Bagdá e Muqdadiya, no Iraque, que deixaram dezenas de civis mortos e muitos outros feridos.

“O secretário-geral está preocupado com esses ataques covardes reivindicados pelo ISIL em funerais, mercados e locais de culto, destinados a minar a unidade do povo do Iraque. Ele apela para que sejam rejeitadas essas tentativas de vender o medo”, disse um comunicado emitido nesta segunda-feira (29) por seu porta-voz.

No mesmo dia, pelo menos 38 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas após um homem-bomba invadir um funeral em Muqdadiya, ao norte de Bagdá. Um outro ataque suicida ocorreu em um posto de segurança na periferia de Bagdá, matando pelo menos oito integrantes das forças de segurança, de acordo com os relatos.

Os ataques acontecem logo após duas bombas atingirem um mercado, no domingo (28), na cidade de Sadr, ao norte de Bagdá, matando pelo menos 70 pessoas e ferindo pelo menos cem outras.

Expressando condolências às famílias das vítimas, bem como ao governo e ao povo do Iraque, o chefe da ONU desejou uma rápida recuperação para os feridos.

Reiterando o compromisso da ONU em apoiar o Iraque em seu trabalho de promover o diálogo e reconciliação nacional, Ban também pediu ao governo do Iraque que assegure que os autores dos crimes sejam “rapidamente levados à justiça”.