ONU condena atentado que matou 15 pessoas no Afeganistão; Talibã assume responsabilidade

Segundo relatos, um carro-bomba foi detonado em um posto de segurança na entrada da província de Panjshir. Entre os mortos, sete eram civis.

O representante especial e chefe interino da Missão de Assistência das Nações Unidas no Afeganistão (UNAMA), Mark Bowden. Foto: ONU/JC Mcllwaine

O representante especial e chefe interino da Missão de Assistência das Nações Unidas no Afeganistão (UNAMA), Mark Bowden. Foto: ONU/JC Mcllwaine

A Missão de Assistência das Nações Unidas no Afeganistão (UNAMA) condenou fortemente o atentado suicida com um carro-bomba nesta quinta-feira (1) na província central do Panjshir, matando pelo menos 15 pessoas, incluindo sete civis.

O vice-representante especial e chefe interino da Missão de Assistência das Nações Unidas no Afeganistão (UNAMA), Mark Bowden, disse que mais de 12 pessoas também ficaram feridas, incluindo civis, número que pode ser maior.

Segundo relatos, um carro-bomba foi detonado em um posto de segurança na entrada da província na tarde desta quinta-feira (1). O Talibã assumiu a responsabilidade pelo ataque.

“Os ataques indiscriminados que matam e ferem civis podem constituir crimes de guerra e são violações graves do direito internacional humanitário que liga todas as partes no conflito armado no Afeganistão”, acrescentou Bowden.