ONU condena ataques na Nigéria: mais de 200 pessoas são sequestradas e 33 morrem

Apesar de a identidade dos responsáveis ainda não ser conhecida, acredita-se que o ataque possa ter sido feito pelo grupo terrorista Boko Haram. ONU convoca autoridades nacionais a conter violência e levar responsáveis a julgamento.

Campo de deslocados no Níger, um dos países que recebe milhares de pessoas em fuga da violência cometida pelo grupo terrorista Boko Haram na Nigéria. Foto: OCHA/Katy Thiam

Campo de deslocados no Níger, um dos países que recebe milhares de pessoas em fuga da violência cometida pelo grupo terrorista Boko Haram na Nigéria. Foto: OCHA/Katy Thiam

O representante especial do secretário-geral para a África Ocidental, Mohammed Ibn Chambas, condenou, nesta sexta-feira (19) os ataques no nordeste da Nigéria, que provocaram a morte de 30 pessoas e ao sequestro de cerca de 200. Apesar de a identidade dos responsáveis ainda não ser conhecida, acredita-se que o ataque possa ter sido feito pelo grupo terrorista Boko Haram.

De acordo com relatos da imprensa, militantes invadiram uma cidade do estado de Borno no último domingo (14), causando 33 mortes e o sequestro em larga escala de mulheres e crianças.

Chambas denunciou as “renovadas ondas de ataque” no estado e enviou suas condolências à população da Nigéria. Além disso, convocou as autoridades nacionais a conter os ataques contínuos no nordeste do país e a levar os responsáveis pelos crimes a julgamento.