ONU condena ataque terrorista que matou 28 pessoas no Quênia

Os militantes do grupo extremista Al-Shabaab, que assumiram a autoria do atentado, mataram 28 pessoas que viajavam de ônibus de Mandera para a capital queniana, Nairóbi.

Campo de refugiados de Daddab, no Quênia. Foto: ONU/Evan Schneider

Campo de refugiados de Daddab, no Quênia. Foto: ONU/Evan Schneider

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, condenou neste sábado (22) o assassinato brutal das 28 pessoas que viajavam em um ônibus de Mandera para Nairóbi, no Quênia.

Os militantes do grupo extremista Al-Shabaab, que nos últimos anos realizaram diversos ataques violentos em áreas civis da Somália e do Quênia, assumiram a autoria do ataque.

Ban expressou solidariedade às famílias das vítimas e ao povo e ao governo do Quênia, e prometeu o contínuo apoio da ONU para os países da região nos esforços para acabar com o “flagelo do terrorismo”. Além disso, ele afirmou que espera que os responsáveis pelas mortes sejam levados à justiça rapidamente.

Na ocasião, o representante especial do secretário-geral da ONU para a Somália, Nicholas Kay, afirmou que este “horrível” ataque terrorista mostra o total desrespeito pela humanidade e reiterou o compromisso da ONU em ajudar garantir a segurança e a estabilidade na região.