ONU condena ataque terrorista em Rafah, Egito

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Condenando o ataque terrorista na última sexta-feira (7) contra um posto de controle em Rafah, no Egito, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, e o Conselho de Segurança da organização ressaltaram a necessidade de levar os autores à justiça.

Secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres. Foto: ONU/Manuel Elias

Secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres. Foto: ONU/Manuel Elias

Condenando o ataque terrorista na última sexta-feira (7) contra um posto de controle em Rafah, no Egito, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, e o Conselho de Segurança da organização ressaltaram a necessidade de levar os autores à justiça.

Segundo o porta-voz da ONU, Guterres reiterou o apoio da ONU ao governo do Egito na sua luta contra o terrorismo e o extremismo violento.

“O secretário-geral espera que os responsáveis pelo ato covarde sejam levados à justiça”, acrescentou o comunicado.

Segundo relatos, pelo menos 23 soldados egípcios foram mortos e muitos feridos no ataque.

Membros do Conselho de Segurança da ONU também condenaram o ataque terrorista e reafirmaram que o terrorismo em todas as suas formas e manifestações constitui uma das ameaças mais graves à paz e à segurança internacionais.

“Quaisquer atos de terrorismo são criminosos e injustificáveis, independentemente da sua motivação, local, momento ou autor”, destacou o comunicado.

Os integrantes do órgão da ONU também reafirmaram a necessidade de todos os Estados
“combaterem por todos os meios”, de acordo com a Carta das Nações Unidas e outras obrigações decorrentes do direito internacional, as ameaças à paz e segurança internacionais causadas por atos terroristas.

Os membros do Conselho de Segurança também destacaram que devem ser levados à justiça os autores, organizadores, financiadores e patrocinadores de tais atos.

Guterres e os membros do Conselho de Segurança também expressaram suas condolências às famílias das vítimas e ao governo e ao povo do Egito, e desejaram uma rápida recuperação para os feridos.


Comente

comentários