ONU celebra Dia dos Direitos Humanos afirmando direito universal de se fazer ouvir

Todos têm o direito de ser ouvido e de influenciar as decisões que afetam suas vidas e comunidades. “O direito internacional é claro: Não importa quem você é, ou onde você vive, a sua voz conta”, afirma Ban Ki-moon.

ONU/Unidade de Design Gráfico do DIPFuncionários das Nações Unidas marcaram hoje (10) o Dia Mundial dos Direitos Humanos, declarando que todos têm o direito de ser ouvido e de influenciar as decisões que afetam suas vidas e comunidades. “O direito internacional é claro: Não importa quem você é, ou onde você vive, a sua voz conta”, disse o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon,  em mensagem para o Dia, celebrado anualmente 10 de dezembro. “Neste dia, vamos nos unir para defender o seu direito de ser ouvido”.

A Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, Navi Pillay, lembrou que milhões de pessoas têm ido às ruas ao longo dos últimos anos, alguns exigindo direitos civis e políticos, outros exigindo direitos econômicos, sociais e culturais.

“Esta onda não é simplesmente uma questão de pessoas exigindo liberdade de dizer o que pensam”, disse Pillay. “Elas estão pedindo muito mais do que isso. Elas foram pedir o seu direito de participar plenamente nas decisões importantes e políticas que afetam suas vidas diárias. Isso inclui não só os processos democráticos, mas também as principais decisões econômicas que podem ter um impacto enorme sobre os indivíduos, famílias e até grupos e nações inteiras”.

Em mensagem para a data, a Diretora Executiva da Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres (ONU Mulheres), Michelle Bachelet, disse que as vozes de muitas mulheres e meninas continuam a ser travadas através da discriminação, ameaças e violência. “Isso está atrasando o progresso para as mulheres e para todos os membros da sociedade”, afirmou.

Assista ao vídeo com a mensagem de atletas e defensores dos direitos humanos:

Como parte da celebração de hoje, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) realiza um evento em sua sede em Paris, em apoio à educação das meninas, com uma homenagem especial à Malala Yousafzai, uma menina de 15 anos de idade que foi baleada pelo Talibã em outubro por seus esforços para defender a educação das meninas no Paquistão.

Celebrações para o Dia dos Direitos Humanos também incluem um evento especial na sede da ONU em Nova York na terça-feira (11) sobre o papel de lideranças na luta contra a homofobia, organizado pelo Escritório do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos (ACNUDH).

A Assembleia Geral da ONU adotou a Declaração Universal dos Direitos Humanos em 10 de dezembro de 1948 – e a data, desde então, serviu para marcar o Dia Mundial dos Direitos Humanos. O tema deste ano para o Dia é “Inclusão e o direito de participar na vida pública”.