ONU Brasil realiza evento em Brasília pelo fim da violência contra mulheres

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Mulheres negras, indígenas, feministas, ativistas do movimento LGBTT (lésbicas, gays, bissexuais, trans e travestis) são as protagonistas da Tenda 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, que ocorre na terça-feira (29), em Brasília.

convite_tenda_16_dias_de_ativismo_e-mail-2-618x1024Mulheres negras, indígenas, feministas, ativistas do movimento LGBTT (lésbicas, gays, bissexuais, trans e travestis) são as protagonistas da Tenda 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, que ocorre na terça-feira (29), em Brasília.

O evento é promovido pelas Nações Unidas, no âmbito da campanha do secretário-geral “UNA-SE pelo fim da violência contra as mulheres” e da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. Gratuito e aberto ao público, o encontro também é promovido pela Universidade de Brasília e pelo governo do Distrito Federal.

Entre os temas a serem debatidos, está a urgência de eliminar a violência contra as mulheres no Brasil por meio de investimento em políticas públicas e na rede de serviços especializados. Participarão das discussões gestoras e gestores públicos, assim como representantes de universidades.

O evento terá a presença de Heliana Hemetério, da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais; artista popular Mestra Martinha do Coco; Jelena Djordjevic, da ONG Cfêmea (Centro de Estudos Feministas e Assessoria); e representantes da Associação Indígena de Estudantes da Universidade de Brasília.

“É preciso aportar recursos em serviços especializados e de prevenção que tenham condição de enfrentar o racismo e o alarmante dado de aumento de 56% no assassinato de mulheres negras entre 2003 e 2013”, considera Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres Brasil.

O coordenador residente do Sistema ONU no Brasil, Niky Fabiancic, destaca a necessidade de dar visibilidade à violência contra as mulheres e garantir o envolvimento de diferentes setores da sociedade.

“Preconceito e discriminação têm custado vidas de mulheres no Brasil e no mundo. Políticas públicas e outras ações concretas no setor privado, nas instituições de ensino, no sistema de justiça, na sociedade civil em geral, na imprensa, na publicidade devem ir além do enfrentamento da violência contra mulheres e meninas. Devem buscar a erradicação dessa forma de violência”, declara Niky Fabiancic.

Documentos de referência

Durante o evento, a ONU Brasil lançará o Glossário dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Na Tenda dos 16 Dias, haverá uma feira das mulheres artesãs indígenas, quilombolas e produtoras locais, além de apresentações culturais com a Mestra Martinha do Coco e a banda Maria Vai Casoutras.

Tenda 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres
Data: 29 de novembro de 2016 (terça-feira)
Horário: das 16h às 20h
Local: Funarte (Eixo Monumental) – Brasília/DF


Mais notícias de:

Comente

comentários