ONU auxilia vizinhos da Nigéria após ondas de refugiados criadas pela escalada da violência

Nigerianos deslocadas expulsos de Camarões esperam na fila para uma refeição. Foto: OCHA

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) expressou preocupação nesta sexta-feira (14) com a escalada da violência dentro e ao redor da Nigéria e seu impacto sobre a situação dos refugiados nigerianos nos países de acolhimento vizinhos, incluindo a diminuição do espaço humanitário em que eles possam pedir asilo.

Compartilhando o compromisso de Camarões, Chade e Níger de garantir a segurança e a proteção dos refugiados e, ao mesmo tempo, garantir a segurança dos seus próprios cidadãos e zonas fronteiriças, o ACNUR tem incentivado os refugiados a se afastar de áreas de fronteira para campos mais no interior dos países, onde podem receber ajuda e proteção.

Entretanto, desde que militantes nigerianos ampliaram sua campanha no início deste ano, milhares de pessoas foram deportadas ou devolvidas à Nigéria, dos Camarões e do Chade em julho e agosto. Foram 925 nigerianos enviados para casa dos Camarões e Chade entre 9 e 11 de julho e 50 nigerianos sendo rastreados pelo ACNUR no campo de trânsito Gourounguel em 3 de agosto, destacou um comunicado de imprensa da agência.

“O ACNUR receia que tais deportações levem à diminuição da proteção e do espaço humanitário e a agência lembra aos governos de seu dever de proteger os requerentes de asilo fugindo de violações dos direitos humanos e de respeitar o princípio de não repulsão (não-retorno).”