ONU aponta estratégias de investimento para redução da escassez da água

Relatório sobre economia verde afirma que 0,16% do PIB mundial seria suficiente para reduzir pela metade, em menos de quatro anos, o número de pessoas sem acesso à água potável e a serviços de saneamento básico.

Relatório sobre Economia Verde lançado durante a Conferência da Semana Mundial da Água em 2011.Um investimento anual no setor hídrico de 0,16% do PIB mundial – o equivalente a 198 bilhões de dólares – poderia diminuir a escassez de água e reduzir pela metade o número de pessoas sem acesso sustentável à água potável e aos serviços de saneamento básico.

As informações são do Relatório sobre Economia Verde, lançado hoje (25/08) em Estocolmo pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) durante a Conferência da Semana Mundial da Água.

A falta de investimentos em serviços hídricos, de coleta, tratamento e reutilização eficiente da água resulta na redução de reservas aquíferas em várias partes do mundo e contribui para uma situação em que a demanda global por água poderia ultrapassar a oferta num período de 20 anos.

Camboja, Indonésia, Filipinas e Vietnã são alguns dos países cujas perdas causadas pela deficiência no serviço de saneamento básico alcançam cerca de US$ 9 bilhões por ano ou 2% do PIB total combinado.

Segundo Achim Steiner, Sub-Secretário geral da ONU e Diretor Executivo do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), “otimizar o acesso à água potável e serviços de saneamento básico é fundamental para uma sociedade mais sustentável e de uso mais eficiente de recursos”. Caso não haja êxito na promoção do uso mais eficiente da água, a demanda por água pode ultrapassar a oferta em 40% até o ano de 2030.

Otimizar a produção de água, assim como aumentar o abastecimento por meio de novas represas, plantas dessalinizadoras e reciclagem pode diminuir essa lacuna em até 40%. No entanto, os 60% restantes deverão ser compensados a partir de investimentos na infraestrutura, reformas na política de recursos hídricos e desenvolvimento de novas tecnologias.

Bioenergia bem planejada é chave para a Economia Verde

Relatório trata de uso da água para produção de bioenergia.O uso da água para produção de bioenergia é o assunto de outro novo relatório, também lançado na Semana Mundial da Água. Todas as formas de energia têm, em maior ou menor grau, um impacto sobre os recursos hídricos. A relação entre a água e a bioenergia (energia renovável derivada de materiais orgânicos, como a biomassa, madeira ou subprodutos agrícolas) é particularmente complexa.

O estudo conclui que a demanda da bioenergia por água é em grande parte relacionada com o cultivo e processamento de matérias primas, que por sua vez têm implicações importantes para a agricultura sustentável, o uso da terra e a produção de alimentos.

O Relatório sobre a relação entre bioenergia e água foi produzido conjuntamente pelo PNUMA, a Oeko-Institut e a Agência Internacional de Energia.

Para fazer o download do Relatório Economia Verde, clique aqui.

Para fazer o download do Relatório sobre a relação entre bioenergia e água, clique aqui.