ONU alerta sobre atraso na escolha de novo parlamento somali

Para Ban Ki-moon, atos de violência não podem ameaçar a transição política do país. Governo provisório deve escolher novo Presidente até o dia 20 de agosto.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon (ONU/Eskinder Debebe)

Nesta segunda-feira (13), o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, mostrou séria preocupação com o atraso na escolha do novo parlamento da Somália, segundo declaração de seu Porta-voz.

“Atos recentes de intimidação e violência não devem continuar ou serem permitidos para ameaçar a bem-sucedida conclusão da transição somali”, disse o Porta-voz. Ban Ki-moon pediu aos líderes políticos da nação africana que deixem suas diferenças de lado e ajam a favor do melhor para o país.

Após décadas em guerra, a Somália vive hoje um processo de transferência política. As instituições de transição do governo criaram medidas para finalizar o processo de mudança e escolher um novo Presidente até o dia 20 de agosto. Uma constituição provisória foi aprovada em agosto pela Assembleia Nacional Constituinte (NCA, na sigla em inglês), que representou todas os segmentos da sociedade.

“O povo da Somália espera e merece um inclusivo e transparente fim para a transição, feito em um tempo oportuno e de acordo com os Princípios de Garoowe”, completou, referindo-se a acordos feitos entre o governo de transição somali e as partes atuantes da política do país, com intuito de criar acordos na transição do poder.