ONU alerta para uso de nome da organização por fraudadores

Somente em 2016, as Nações Unidas no Brasil receberam quase cem pedidos ou questionamentos de brasileiras sobre a identidade dos fraudadores; organização dá dicas contra as tentativas de fraude.

Foto: Kaboompics/CC

Foto: Kaboompics/CC

A ONU reforçou um alerta nesta quinta-feira (6) sobre o uso do nome da organização por parte de fraudadores. Só esse ano, as Nações Unidas no Brasil receberam quase cem pedidos ou questionamentos de brasileiras sobre a identidade dos fraudadores.

Nas mensagens, um homem se identifica como funcionário da ONU ou de um Estado-membro atuando em uma força de paz da organização, em todos os casos solicitando dados pessoais de mulheres ou, em alguns casos, um depósito para que o funcionário possa tirar férias – procedimento inexistente dentro das Nações Unidas. Todos os funcionários da ONU são responsáveis pelos pedidos de suas férias, um procedimento interno que não possui qualquer custo.

As Nações Unidas também esclareceram que não cobram qualquer taxa durante seu processo de recrutamento, outro tipo comum de tentativa de fraude. A organização alertou também que, sob qualquer hipótese, não solicita informações de indivíduos em relação a suas contas bancárias ou outras informações particulares.

Prêmios, recursos, certificados ou bolsas acadêmicas também não são oferecidos por através pela Internet ou por telefone. Iniciativas fraudulentas frequentemente usam a logomarca da ONU para se beneficiarem indevidamente. Uma resolução da Assembleia Geral datada de 7 de dezembro de 1946 determina que o nome e o emblema das Nações Unidas não poderão ser usados sem a devida autorização do secretário-geral.

A ONU tem recomendado que os destinatários de mensagens fraudulentas ou suspeitas ajam com extrema cautela e não respondam a pedidos de transferências de fundos nem concedam informações particulares. Transferências de fundos ou fornecimento de informações particulares podem acarretar em prejuízos financeiros ou roubos de identidade.

Qualquer pessoa com dúvidas sobre a autenticidade de uma mensagem ou telefonema em nome das Nações Unidas pode enviar um email solicitando esclarecimentos, por meio do “Fale Conosco” da organização: www.onu.org.br/contato.

As vítimas devem ser orientadas a informar o incidente em qualquer Delegacia de Polícia ou nas Delegacias de Repressão aos Crimes de Informática (no Brasil, a maioria dos estados possui uma).

Confira o alerta da ONU sobre o tema clicando aqui.


Comente

comentários