ONU alerta de aumento de ataques contra civis que fogem de áreas controladas pelo ISIL

Segundo o Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH), ao menos quatro famílias foram mortas no início de julho ao tentar escapar de área controlada pelo grupo extremista.

Crianças no acampamento de Khanke, próximo a cidade de Dohuk, no Iraque, onde a maioria são Yazidis que fogem do Estado Islâmico do Iraque e do Levante. Foto: UNAMI

Crianças no acampamento de Khanke, próximo a cidade de Dohuk, no Iraque, onde a maioria são Yazidis que fogem do Estado Islâmico do Iraque e do Levante. Foto: UNAMI

Um crescente número de pessoas no Iraque, incluindo famílias com crianças e idosos, encontra emboscadas quando tenta escapar de áreas controladas pelo Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ISIL), arriscando suas vidas em uma viagem traiçoeira pela montanha em busca de segurança, disse o Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) nesta terça-feira (28).

A porta-voz do ACNUDH, Ravina Shamdasani, declarou que um número crescente de pessoas tem tentado escapar através de uma viagem muito difícil, e pelo menos quatro famílias, incluindo crianças e idosos, supostamente morreram no início de julho depois de tentar tal viagem sem um guia e com poucos suprimentos. De acordo com fontes, a viagem leva de 8 a 12 horas em condições adversas, com temperaturas elevadas, através de áreas abandonadas, sem sinalização ou estradas pavimentadas, disse ela.

De acordo com o ACNUDH “pistoleiros do ISIL também organizam emboscadas contra pessoas que fogem e franco-atiradores do grupo extremista supostamente matam aqueles que são presos”. “Qualquer ataque intencional direto contra civis é considerado uma violação séria dos direitos humanos internacionais”, reiterou Shamdasani.