ONU ajuda no monitoramento da erupção de vulcão na Islândia

Agências da ONU estão monitorando a erupção do vulcão islandês Grímsvötn, que desde sábado (21/05) tem expelido cinzas a uma altura cerca de 10 quilômetros, levando ao cancelamento de centenas de voos em diversas partes da Europa.

Agências da ONU estão monitorando a erupção do vulcão islandês Grímsvötn, que desde sábado (21/05) tem expelido cinzas a uma altura cerca de 10 quilômetros, levando ao cancelamento de centenas de voos em diversas partes da Europa. Alguns cientistas avaliam, no entanto, que o impacto não deve ser tão grave como a erupção do vulcão Eyjafjallajokull, em abril de 2010, que fechou o espaço aéreo europeu por muitos dias.

Nove centros de consultoria de cinzas vulcânicas – estabelecidos pela Organização Meteorológica Mundial (OMM), pela Organização da Aviação Civil Internacional (ICAO) e pela União Internacional de Geodésia e Geofísica – estão fornecendo informações meteorológicas como parte de um sistema de global de monitoramento de vulcões.

De acordo com a porta-voz da OMM, Clare Nullis, os centros também fornecem previsões sobre o lugar e o modo com que as nuvens de cinza podem se espalhar nos próximos dias, dependendo das condições climáticas e da duração da erupção. As informações devem ajudar as autoridades a tomar decisões sobre os transportes e outras áreas de planejamento.

A Estratégia Internacional das Nações Unidas para a Redução de Desastres (ISDR) já havia pedido aos governos europeus que integrassem os riscos vulcânicos em suas políticas e leis de viagem aérea.