ONU: Água, saneamento e energia são os principais desafios globais do desenvolvimento

Presidente da Assembleia Geral destaca que 783 milhões de pessoas vivem sem água potável, 2,5 bilhões não têm saneamento adequado e 1,4 bilhão não têm acesso à eletricidade.

Cité Soleil, Porto Príncipe, Haiti. Foto: ONU/Logan Abassi

“Falta de acesso a água, saneamento e serviços sustentáveis de energia é um composto ampliador da pobreza, de problemas de saúde e mortalidade, e da desigualdade de gênero”, afirmou o presidente da Assembleia Geral das Nações Unidas, John Ashe, durante a abertura de um debate sobre a agenda de desenvolvimento pós-2015 na terça-feira (18).

Para Ashe, as crises de água, saneamento e de energia são os principais desafios globais de desenvolvimento, já que atualmente 783 milhões de pessoas vivem sem água potável, 2,5 bilhões não têm saneamento adequado e 1,4 bilhão não têm acesso a eletricidade.

“Não nos esqueçamos de que estamos trabalhando em nome de incontáveis milhões de pessoas que estão atualmente destinadas a viver no escuro, que veem seus filhos morrerem de desidratação e que são mães e viúvas, pais e filhos sofrendo efeitos adversos da poluição do ar em espaços interiores decorrente do uso de serviços de energia ineficientes”, afirmou Ashe.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, reforçou o pedido do presidente da Assembleia Geral e disse que o acesso à água potável, ao saneamento e à higiene deve estar na agenda de desenvolvimento pós-2015 como uma questão de “justiça e oportunidade”.

“Precisamos de energia limpa e eficiente para combater a mudança climática”, disse Ban, observando que, com uma população mundial de 7 bilhões e em crescimento, “em 2030 vamos precisar de 35% mais alimentos, 40% a mais de água e 50% mais energia”.