ONU abre novo campo de refugiados na Jordânia para abrigar sírios que não param de chegar

Cinco mil pessoas serão acomodadas inicialmente no novo campo, mas sua capacidade poderá ser aumentada para 30 mil refugiados.

 Refugiados sírios esperam em um centro de distribuição do ACNUR no campo de refugiados de Zaatari na Jordânia. Foto: ACNUR / J. Tanner

A ONU anunciou nesta sexta-feira (25) que está trabalhando com a Jordânia para abrir um novo campo de refugiados no país até o final desse mês, já que, somente em janeiro, 30 mil sírios chegaram ao país. 

A Porta-Voz do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), Melissa Fleming, ressaltou que a nova instalação será conhecida como Campo Halabat, e será próxima a Zaatari, o maior campo de refugiados jordaniano. “Até cinco mil pessoas serão acomodadas inicialmente no campo, com um plano para aumentar a capacidade para 30 mil”, disse Fleming.

O recente fluxo de refugiados em janeiro representa um contraste significativo com os meses anteriores, pois cerca de 16 mil chegaram a Zaatari em dezembro, 13 mil em novembro e 10 mil em outubro. O ACNUR estima que a população nesse campo é atualmente de 65 mil pessoas.

Segundo Fleming, a maioria dos refugiados é de famílias chefiadas por mulheres e pessoas idosas. Os recém-chegados denunciam que fugiram da Síria devido à violência, perda de propriedade, falta de tratamento médico,  altos preços de comida e combustível e escassez de água e eletricidade. “Os funcionários de Zaatari estão trabalhando dia e noite para responder as novas chegadas e as necessidades crescentes dos refugiados no campo”, acrescentou Fleming.

Desde março de 2011, a Síria sofre com os conflitos que se inciaram com o levante contra o Presidente Bashar al-Assad. Mais de 60 mil pessoas morreram – a maioria civis – e 2,5 milhões necessitam de ajuda humanitária. Os confrontos, que se intensificaram nos últimos meses, já deixaram mais de 600 mil refugiados.