ONU abordará impacto político da crise nuclear japonesa

A conferência de alto nível da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), em junho, abordará o impacto político da crise nuclear japonesa, e não apenas seus aspectos técnicos, afirmou o Diretor-Geral da agência, Yukiya Amano.

Yukiya AmanoA conferência de alto nível da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), em junho, abordará o impacto político da crise nuclear japonesa, e não apenas seus aspectos técnicos, afirmou o Diretor-Geral da agência, Yukiya Amano. “É por isso que a presença de líderes políticos será fundamental,” disse ele em entrevista coletiva na sede da agência, em Viena, anunciando o envio de convites para os Primeiros-Ministros e Ministros das Relações Exteriores de todos os 151 Estados-Membros da AIEA.

A partir de segunda-feira, a crise japonesa também será discutida em uma reunião dos Estados-Membros da Convenção sobre Segurança Nuclear (CSN), nascida após o acidente nuclear de Chernobyl, há 25 anos. A CSN visa promover a segurança nuclear, a cultura da segurança, a gestão de segurança e o compartilhamento de conhecimento entre os atuais e futuros Estados nucleares. Um seminário será realizado à margem desta reunião para fornecer um fórum para os membros da AIEA.

Amano disse que a conferência de junho fará uma “avaliação e uma análise preliminar do padrão de segurança existente em função deste acidente… Não olharemos somente para atrás, mas para o futuro” Questionado sobre uma avaliação dos empecilhos atuais que os japoneses estão enfrentando em seus esforços para superar a crise de Fukushima, ele respondeu: “A situação continua sendo muito grave e o esforço para superar esta crise está aumentando. (…) Ao mesmo tempo, encontram-se dificuldades, como a existência de água ou o elevado nível de radiação. Houve também alguns progressos. Realmente espero que os esforços por parte dos trabalhadores de emergência conduzam à estabilização dos reatores e desta situação de crise.”

Diversos Mensageiros da Paz das Nações Unidas, incluindo a patinadora japonesa Midori Ito e o ator americano Michael Douglas, gravaram anúncios nos quais expressam a sua solidariedade para com o povo do Japão. “Quero chegar até vocês, o povo do Japão, do outro lado do mundo,” disse Douglas em sua mensagem. “Quero que vocês saibam que não estão sozinhos, que estão em meus pensamentos, e nos pensamentos das pessoas em toda parte, conforme trabalham para reconstruir suas vidas após os trágicos acontecimentos de 11 de março. Estamos de pé, do lado de vocês, e a comunidade internacional está pronta para ajudar.”

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, e a princesa Firyal, da Jordânia, Embaixadora da Boa Vontade da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), também gravaram mensagens de apoio.