ONG colombiana de direitos das mulheres é a vencedora do Prêmio Nansen do ACNUR em 2014

A ONG colombiana ‘Rede Borboletas com Novas Asas, Construindo um Futuro’ é a ganhadora do Prêmio Nansen para Refugiados 2014. Esta é a sexagésima edição do prêmio concedido pela Agência da ONU para os Refugiados (ACNUR), que reconhece indivíduos, grupos e organizações por seus trabalhos de assistência a pessoas deslocadas.

A Rede Borboletas conta com voluntárias que arriscam suas próprias vidas para ajudar sobreviventes de deslocamento interno e abuso sexual em Buenaventura, no litoral pacífico colombiano. A ONG já ajudou mais de mil mulheres e suas famílias.

A Colômbia fica apenas atrás da Síria em número de deslocados internos e a região de Buenaventura tem algumas das mais altas taxas de violência e deslocamento no país devido aos crescentes conflitos entre grupos armados ilegais. Mulheres e crianças são alvos de abusos frequentes – como tortura, estupro e assassinato -, que servem como demonstração de força e poder.

“Essas mulheres fazem um trabalho extraordinário no mais desafiador dos contextos”, afirmou o Alto Comissário das Nações Unidas para Refugiados António Guterres. “Dia após dia elas arriscam a vida para curar as feridas das mulheres e crianças de Buenaventura. Não há palavras para definir sua coragem”.

A enviada especial do ACNUR, Angelina Jolie elogiou o trabalho das vencedoras. A atriz, que também trabalha como ativista pelo combate à impunidade da violência sexual em cenários de conflito, afirmou que o trabalho da Rede Borboletas “salva vidas”.

As integrantes da organização contam com recursos modestos e fazem seu trabalho a pé, de ônibus ou de bicicleta pelos bairros mais perigosos da região, ajudando as mulheres mais vulneráveis a ter acesso a cuidados médicos e a denunciar crimes. Suas rotinas são permeadas pelo perigo e pelas ameaças de grupos armados ilegais.

A ONG opera com o princípio de “comadreo”, que tem significado especial na cultura afro-colombiana e une respeito, verdadeira solidariedade e confidencialidade entre as voluntárias e as mulheres que recebem sua ajuda para construir uma relação de confiança.

Um componente essencial da assistência que a Rede Borboletas promove são as oficinas sobre legislação e direitos da mulher, assim como capacitações para aquisição de habilidades e competências. Juntas, as mulheres percebem que não estão sozinhas em seu sofrimento e recuperam lentamente sua autoestima e força.