OMS lança maior campanha de vacinação contra cólera para imunizar 2 milhões de pessoas na África

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Em maio, na porção subsaariana do continente, pelo menos 12 áreas ou países relataram transmissão ativa da doença. Programa da Organização Mundial da Saúde (OMS) tem por público-alvo populações vulneráveis na Zâmbia, Uganda, Malauí, Sudão do Sul e Nigéria.

Campanha de vacinação leva imunização para a população de Mtendera, na Zâmbia. Foto: Aliança de Vacinas (GAVI)/Duncan Graham-Rowe

Campanha de vacinação leva imunização para a população de Mtendera, na Zâmbia. Foto: Aliança de Vacinas (GAVI)/Duncan Graham-Rowe

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou nesta semana (7) a maior campanha de imunização contra o cólera de toda sua história. Iniciativa visa vacinar 2 milhões de pessoas na África. Em maio, na porção subsaariana do continente, pelo menos 12 áreas ou países relataram transmissão ativa da doença. Programa da agência da ONU tem por público-alvo populações vulneráveis na Zâmbia, Uganda, Malauí, Sudão do Sul e Nigéria.

“As vacinas orais do cólera são uma arma fundamental em nossa luta”, afirmou o chefe da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, que também lembrou outras estratégia importantes no combate à patologia.

“A OMS e nossos parceiros estão salvando vidas todos os dias, por meio de melhorias no acesso a água potável e saneamento, do estabelecimento de centros de tratamento, da entrega de suprimentos, da divulgação de orientações de saúde pública, do treinamento de profissionais de saúde e do trabalho de prevenção com as comunidades”, completou o dirigente.

Nos primeiros quatro meses de 2018, mais de 15 milhões de doses da vacina contra o cólera foram aprovadas para uso global. O número contrasta com a adoção do tratamento em anos anteriores. De 1997 a 2012, uma quantidade de vacinas considerada modesta pela OMS — 1,5 milhão de doses — foi aplicada em todo o mundo.

A imunização contra o cólera é normalmente administrada em duas etapas. A primeira garante proteção por seis meses. A segunda por um período de três a cinco anos.

“A cada estação chuvosa, o cólera se prolifera e traz devastação para comunidades em toda a África”, disse o diretor da OMS para a África, Matshidiso Moeti. Na avaliação do especialista, é necessário aproveitar o engajamento de governos com a vacina para implementar abordagens multissetoriais, que combinem intervenções de saúde pública com a garantia de que todos tenham acesso a água limpa, “não importando onde estejam localizados”.

A campanha da OMS é financiada pela Aliança de Vacinas (GAVI), uma parceria público-privada. Desde o início de 2018, a agência da ONU tem fornecido assistência e aconselhamento técnicos para os países em que a iniciativa de imunização está sendo implementada. A cooperação dos governos e do organismo internacional faz parte de um esforço global para reduzir as mortes por cólera em 90% até 2030.


Mais notícias de:

Comente

comentários