OMS já entregou mais de 125 toneladas de suprimentos médicos em Aleppo, na Síria

Vacinação contra sarampo em centro de registro de refugiados no Líbano. Foto: ACNUR/G. Beals

A Organização Mundial de Saúde (OMS) já entregou mais de 125 toneladas de equipamentos médicos e remédios a prestadores de serviços de saúde na cidade de Aleppo, na Síria, relatou a agência na sexta-feira (7).

As doações, entregues durante os meses de dezembro e janeiro, continham materiais cirúrgicos, remédios para tratar doenças crônicas e infeciosas, incubadoras infantis, ventiladores e camas para unidades de tratamento intensivo.

Desde o início da crise na Síria, a situação de saúde no país vem se deteriorando devido à falta de medicamentos e trabalhadores, à destruição de instalações de saúde e ao difícil acesso a cuidados médicos.

As doações da OMS contribuem para o fornecimento constante de medicamentos e suprimentos médicos para todos os lados do conflito.

Em 2013, a agência e seus parceiros distribuíram suprimentos médicos para 4,6 milhões de pessoas, deram suporte a clínicas móveis de saúde e outros serviços e treinaram quase 2.500 profissionais de saúde locais sobre temas como doenças infecciosas, desnutrição e saúde mental.

A OMS também estabeleceu o Sistema de Aviso, Alerta e Resposta Precoce (EWARS, na sigla em inglês) para detectar os primeiros sinais de um surto de doença, prevenindo sua disseminação. Atualmente, mais de 400 lugares em instalações de saúde pelo país contribuem com o sistema.

A agência da ONU continua preocupada com os ataques a instalações e profissionais de saúde e pede a todas as partes no conflito que respeitem a integridade e a neutralidade dessas instalações.

O Direito Internacional Humanitário, de acordo com as Convenções de Genebra, garante a proteção de trabalhadores de saúde, pacientes e instalações e todos os lados do conflito devem honrar esses acordos.