OMS homenageia organizações e indivíduos no Dia Mundial Sem Tabaco

Indivíduos, organizações e autoridades de seis países da região das Américas – Antígua e Barbuda, Argentina, Colômbia, El Salvador, Estados Unidos e Uruguai – serão homenageados com o prêmio do Dia Mundial Sem Tabaco 2019. Essas honrarias, concedidas anualmente pela Organização Mundial da Saúde (OMS), tem o intuito de reconhecer as contribuições para avançar na luta contra os efeitos prejudiciais do consumo de tabaco.

Os prêmios foram anunciados com parte dos preparativos para o Dia Mundial Sem Tabaco, celebrado em 31 de maio, cujo tema deste ano é “Tabaco e saúde pulmonar”. Os vencedores desta edição abriram caminho para o avanço de políticas e medidas contidas na Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco (CQCT) da OMS na região das Américas.

Os prêmios foram anunciados com parte dos preparativos para o Dia Mundial Sem Tabaco, celebrado em 31 de maio, cujo tema deste ano é “Tabaco e saúde pulmonar”. Foto: PEXELS

Os prêmios foram anunciados com parte dos preparativos para o Dia Mundial Sem Tabaco, celebrado em 31 de maio, cujo tema deste ano é “Tabaco e saúde pulmonar”. Foto: PEXELS

Indivíduos, organizações e autoridades de seis países da região das Américas – Antígua e Barbuda, Argentina, Colômbia, El Salvador, Estados Unidos e Uruguai – serão homenageados com o prêmio do Dia Mundial Sem Tabaco 2019. Essas honrarias, concedidas anualmente pela Organização Mundial da Saúde (OMS), tem o intuito de reconhecer as contribuições para avançar na luta contra os efeitos prejudiciais do consumo de tabaco.

Os prêmios foram anunciados com parte dos preparativos para o Dia Mundial Sem Tabaco, celebrado em 31 de maio, cujo tema deste ano é “Tabaco e saúde pulmonar”. Os vencedores desta edição abriram caminho para o avanço de políticas e medidas contidas na Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco (CQCT) da OMS na região das Américas.

“O consumo de tabaco é um importante fator determinante da saúde pulmonar e é responsável por 65% de todas as mortes por câncer de pulmão na região”, afirmou Anselm Hennis, diretor do Departamento de Doenças Não Transmissíveis e Saúde Mental da OPAS. “Este prêmio reconhece a função vital que organizações e indivíduos desempenham na formulação e no apoio a políticas para proteger os povos das Américas contra os efeitos prejudiciais da fumaça do tabaco para a saúde pulmonar.”

Um dos premiados foi o Ministério da Saúde, Bem-Estar e Meio Ambiente de Antígua e Barbuda, por ter sido o terceiro país na região a aprovar, dentro de uma única legislação: a proibição do fumo em locais públicos fechados e locais de trabalho; a inclusão de advertências gráficas obrigatórias de saúde em produtos de tabaco; e a proibição da publicidade, promoção e patrocínio do tabaco.

Outro prêmio foi concedido a Gerbert Marcelo Marquelli Canales, de El Salvador. A homenagem póstuma reconhece o trabalho de Marquelli como chefe da Unidade Jurídica do Fundo de Saúde Solidariedade (FOSALUD) do país, onde desempenhou um papel central na redação de regulações sobre ambientes livres do consumo de tabaco e no fomento e apoio de sua adoção.

Ana María Lorenzo García, presidente da Sociedad Uruguaya de Tabacología, também foi uma das vencedoras. Ana María foi homenageada por sua longa trajetória de trabalho com a formulação de leis sobre o controle estrito do tabaco dentro e fora de seu país, em particular aquelas destinadas a combater a interferência da indústria do tabaco.

Outro prêmio foi concedido a uma coalizão de sete organizações médicas científicas da Colômbia (Associação Colombiana de Medicina Interna, Sociedade Colombiana de Medicina Familiar, Associação Colombiana de Pneumologia e Cirurgia de Tórax, Associação Colombiana de Pneumologia Pediátrica, Sociedade Colombiana de Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular, Associação Colombiana de Patologia e Associação Colombiana de Hematologia e Oncologia) por seus esforços em alertar sobre o impacto negativo para a saúde de novos produtos como os sistemas eletrônicos de administração de nicotina e sistemas eletrônicos sem nicotina.

A filial argentina da Fundação Interamericana do Coração (FIC Argentina), que está entre as primeiras organizações de controle do tabaco a adotar uma abordagem de direitos humanos para orientar seu programa, também venceu. O trabalho de pesquisa e política da organização tem sido fundamental para apoiar e defender a adoção e implementação de regulações para o controle do tabaco.

Outro premiado foi o grupo Students Working Against Tobacco (SWAT), da Flórida, Estados Unidos, por seu trabalho para combater a epidemia de consumo de tabaco entre jovens. Sua mais recente iniciativa, “Not a Lab Rat”, é uma campanha contra o notável aumento do consumo de cigarros eletrônicos entre jovens.

Dia Mundial Sem Tabaco

O Dia Mundial Sem Tabaco foi criado pelos Estados-membros da OMS em 1987 e é comemorado todos os anos em 31 de maio. O objetivo da data é aumentar a conscientização sobre os efeitos prejudiciais do uso do tabaco e da exposição ao fumo passivo, e desencorajar o uso do tabaco em qualquer uma de suas formas.

O tema deste ano é “Tabaco e saúde pulmonar”. A campanha destaca os efeitos negativos que o tabaco exerce sobre a saúde dos pulmões, desde câncer até as doenças respiratórias crônicas, bem como a importância crítica dos pulmões para a saúde e o bem-estar.

Premiação

A premiação do Dia Mundial Sem Tabaco é realizada anualmente e tem o objetivo de reconhecer indivíduos ou organizações em cada uma das seis regiões da OMS por suas realizações na área de controle do tabaco.

No ano passado, os vencedores do prêmio na região das Américas incluíram indivíduos, organizações e autoridades de Argentina, Chile, Guiana, Estados Unidos e Uruguai.


Comente

comentários