OMS envia equipe técnica para conter novo surto de ebola na República Democrática do Congo

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Organização Mundial da Saúde (OMS) informou no sábado (13) que está enviando uma equipe técnica para a República Democrática do Congo para conter o surto de ebola em curso em Likati. De acordo com a agência da ONU, pelo menos três pessoas morreram e outras oito foram diagnosticadas com a doença na região congolesa que faz fronteira com a República Centro-Africana.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou no sábado (13) que está enviando uma equipe técnica para a República Democrática do Congo para conter o surto de ebola em curso na região de Likati.

De acordo com a agência da ONU, pelo menos três pessoas morreram e outras oito foram diagnosticadas com a doença na localidade congolesa que faz fronteira com a República Centro-Africana.

O diretor do Escritório Regional da OMS para a África, Matshidiso Moeti, visitou a capital Kinshasa para discutir com autoridades locais e parceiros maneiras de montar uma resposta rápida, eficaz e coerente para responder à situação.

“Peço que todos os envolvidos trabalhem em parceria com as autoridades de saúde e tomem as medidas preventivas necessárias para se proteger do surto”, disse Moeti, observando que a OMS está pronta para fornecer o conhecimento técnico e a liderança necessários para a situação.

“A zona de saúde está situada na parte norte do país, que é isolada, de difícil acesso e com redes de transporte e comunicação limitadas – fatores que impediram a transmissão de informações sobre o surto suspeito”, acrescentou a OMS em comunicado à imprensa.

Integrante da equipe de experimentação da vacina contra o ebola em um laboratório no Hospital Donka, localizado em Conacri, capital da Guiné. Foto: OMS/S. Hawkey

Integrante da equipe de experimentação da vacina contra o ebola em um laboratório no Hospital Donka, localizado em Conacri, capital da Guiné. Foto: OMS/S. Hawkey

A agência da ONU observou ainda que a extensão total do surto de 2017 ainda não está clara. No entanto, investigações mais aprofundadas e avaliações de risco estão sendo conduzidas.

A Rede Mundial de Alerta e Resposta a Surtos (GOARN), por sua vez, foi ativada para fornecer suporte adicional, se necessário. Além disso, o reforço da vigilância epidemiológica, do rastreamento de contatos, gerenciamento de casos e engajamento da comunidade estão em andamento.

Entre 2014 e 2015, um surto de ebola provocou a morte de cerca de 11,3 mil pessoas na África Ocidental. Os países mais afastados foram a Guiné, a Serra Leoa e a Libéria.


Mais notícias de:

Comente

comentários