OMS emite alerta a respeito do vírus zika e do aumento do número de casos de malformações cerebrais

No Brasil, já foram registrados 1.248 casos de microcefalia ao longo de 2015. Pernambuco concentra 646 ocorrências. Aumento de casos está relacionado ao vírus zika, segundo o Ministério da Saúde.

No Brasil, vírus zika já circula por 18 estados. Foto: FotosPúblicas / Rafael Neddermeyer

No Brasil, vírus zika já circula por 18 estados. Foto: FotosPúblicas / Rafael Neddermeyer

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) emitiu, nesta terça-feira (1), um alerta a respeito das infecções pelo vírus zika, que já circula, de forma autóctone, por nove países das Américas. A agência chamou a atenção para a possível relação, já verificada no Brasil, por exemplo, entre o vírus e o aumento incomum do número de casos de microcefalia, de outras malformações congênitas e de síndromes neurológicas e autoimunes. No país, ao longo de 2015, já foram registrados 1.248 casos de microcefalia, incluindo sete mortes.

Informações da OPAS indicam que, nesse ano, a ocorrência de microcefalia no Brasil já alcançou a taxa de 99,7 (por 100 mil nascimentos). O valor representa um aumento de cerca de 20 vezes dos números atribuídos aos anos de 2010 e 2000. Apenas no estado do Pernambuco, já foram registrados 646 casos, em 2015. Segundo a OPAS, o vírus zika já chegou a 18 estados brasileiros.

Na semana passada, o Ministério da Saúde brasileiro confirmou a relação entre a microcefalia e a infecção pelo zika, após detectar o genoma do vírus em tecidos de um bebê paraense que, além desta, apresentava outras malformações congênitas. De acordo com as análises do órgão, o risco elevado de desenvolvimento de microcefalia ou de outras malformações, pelos fetos, está associado às infecções das mães pelo vírus zika durante o primeiro trimestre da gravidez.

O alerta da OPAS também lembra que, em julho de 2015, autoridades brasileiras já haviam verificado o aumento dos casos de síndromes neurológicas em pacientes adultos infectados pelo vírus. Até meados do mês, 76 pessoas haviam apresentado sintomas de distúrbios que afetam o sistema nervoso, dos quais 42 foram diagnosticados com a síndrome de Guillain-Barré.

No resto do hemisfério sul, a Polinésia Francesa também registrou uma elevação no número de ocorrências de malformações cerebrais e síndromes do sistema nervoso em fetos, possivelmente associadas a infecções pelo vírus. Além do Brasil e do departamento francês, a Colômbia, El Salvador, a Guatemala, o México, o Paraguai, o Suriname, a Venezuela e a Ilha de Páscoa, no Chile, já identificaram a circulação do zica em seus territórios.