OMS e UNICEF firmam parceria para melhorar saúde na América Latina e Caribe

Acordo foca o bem-estar materno e infantil, a saúde sexual e reprodutiva dos adolescentes e o reforço do trabalho no Haiti, uma prioridade para ambas as organizações.

OPAS e UNICEF durante encontro para definir cooperação. Foto: OPAS

OPAS e UNICEF durante encontro para definir cooperação. Foto: OPAS

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), representação da Organização Mundial da Saúde (OMS) nas Américas, e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) firmaram nesta terça-feira (25) uma parceria nas áreas de saúde materna, infantil e adolescente, sistemas de informação e dados em saúde, nutrição e HIV/aids, bem como no reforço do trabalho no Haiti, uma prioridade para ambas as organizações.

O acordo foi resultado de uma reunião entre a diretora da OPAS, Carissa F. Etienne, e o diretor regional do UNICEF para a América Latina e o Caribe, Bernt Aasen, com suas respectivas equipes na sede da OPAS/OMS, em Washington, Estados Unidos.

Dentre outras ações, o acordo vai focar a cooperação com os países da região em prol das recomendações da Comissão de Informação e Responsabilidade para a Saúde de Mulheres e Crianças, além de acelerar a implementação da Estratégia e Plano de Ação para a Saúde Infantil Integrada, que ajuda crianças a atingir um potencial físico, intelectual e emocional mais elevado.

A parceria também vai buscar melhorias na saúde sexual e reprodutiva de adolescentes, incluindo a cooperação pela vacinação contra o vírus do papiloma humano. Além disso, vai ajudar os países a fortalecer suas estatísticas vitais, informações de saúde, cartões de informação e outras ferramentas para melhorar a qualidade e monitoramento de dados e harmonizar os indicadores de bem-estar.

Segundo a ONU, os principais desafios na América Latina e no Caribe são marcados por profundas diferenças sociais que caracterizam a região como a mais desigual do mundo. A mortalidade materna, neonatal e infantil é maior nas famílias que vivem na pobreza, que têm menos educação, que vivem em áreas rurais ou com ascendência indígena ou africana.

Como parte do novo plano de trabalho, que será executado até dezembro de 2015, os diretores de ambas as instituições concordaram em reforçar a colaboração entre os escritórios regionais e dos países para tornar o trabalho adequado às nações, em estreito diálogo com as autoridades nacionais e subnacionais e com as partes interessadas e parceiros de desenvolvimento.

Em sua pauta, o acordo também apoiará a iniciativa mundial “Promessa Renovada”, um projeto do UNICEF e parceiros com diferentes ações pelo combate à mortalidade infantil.

Em setembro deste ano, OPAS, UNICEF e outros apoiadores multilaterais e bilaterais realizarão uma reunião regional do projeto no Panamá intitulada “Uma promessa renovada para as Américas: reduzir as desigualdades na saúde reprodutiva, materna e da criança.”

O encontro vai reunir membros da comunidade do desenvolvimento internacional, do setor privado, sociedade civil e organizações religiosas a fim de fortalecer os esforços para melhorar a saúde reprodutiva, materna e infantil.


Comente

comentários