OMS e países elaboram plataforma para compartilhar dados sobre medicamentos e vacinas para COVID-19

Costa Rica e Chile uniram-se à Organização Mundial da Saúde (OMS) para criar uma plataforma tecnológica que visa retirar barreiras de acesso a futuras vacinas, medicamentos e outros produtos de saúde eficazes contra a COVID-19.

Por meio do compartilhamento aberto de ciência e dados, várias empresas poderão acessar as informações necessárias para produzir as tecnologias, aumentando a disponibilidade em todo o mundo, reduzindo os custos e ampliando o acesso. A OMS e a Costa Rica lançarão oficialmente a plataforma em 29 de maio.

“Os jovens não são invencíveis contra a COVID-19. O coronavírus pode colocá-lo no hospital por semanas ou até matá-lo. Mesmo que você não fique doente, as escolhas que você faz sobre onde vai podem ser a diferença entre a vida e a morte, para outra pessoa.” O alerta foi feito pelo diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus.

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus. Foto: OMS

Os presidentes da Costa Rica, Carlos Alvarado Quesada, e do Chile, Sebastián Piñera, uniram-se ao diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, para anunciar progressos em uma plataforma tecnológica que visa retirar barreiras de acesso a futuras vacinas, medicamentos e outros produtos de saúde eficazes contra a COVID-19.

A Costa Rica propôs a ideia no início da pandemia e vários países estão agora apoiando a proposta.

“Nossa proposta tem base na solidariedade”, disse o presidente Alvarado, da Costa Rica. “É um apelo solidário à ação dos Estados-membros, da academia, de empresas, instituições de pesquisa e agências de cooperação, com base na responsabilidade social global, de forma voluntária, promovendo um licenciamento voluntário não exclusivo mais global.”

“Precisamos liberar todo o poder da ciência, sem ressalvas ou restrições, para oferecer inovações escaláveis, utilizáveis e que beneficiem a todas as pessoas, em qualquer lugar, ao mesmo tempo”, afirmou o diretor-geral da OMS.

“Os modelos tradicionais de mercado não serão entregues na escala necessária para cobrir todo o mundo. A solidariedade dentro e entre países e o setor privado são essenciais para superarmos esses tempos difíceis.”

“O Chile, como a maioria dos países da comunidade internacional, considera que somente por meio da cooperação internacional é possível sair vitorioso da crise causada pela COVID-19”, disse o embaixador Cristian Streeter, diretor de Política Multilateral do Ministério de Relações Exteriores, falando em nome do presidente do Chile.

A plataforma reunirá dados, conhecimento e propriedade intelectual para produtos de saúde existentes ou novos para fornecer “bens públicos globais” a todas as pessoas e todos os países.

Por meio do compartilhamento aberto de ciência e dados, várias empresas poderão acessar as informações necessárias para produzir as tecnologias, aumentando a disponibilidade em todo o mundo, reduzindo os custos e ampliando o acesso.

A OMS e a Costa Rica lançarão oficialmente a plataforma em 29 de maio. Nessa data, uma Chamada à Ação Solidária será publicada no site da OMS, onde governos, financiadores de pesquisa e desenvolvimento, instituições e empresas podem expressar seu apoio.

A solidariedade de todos os Estados-membros da OMS será fundamental para garantir que a plataforma seja uma ferramenta para o acesso equitativo aos produtos de saúde para a COVID-19.