OMS declara fim do mais recente surto de ebola na República Democrática do Congo

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Pelo menos quatro pessoas morreram, e mais de 580 foram registradas e monitoradas de perto depois de terem entrado em contato com o vírus, informou a Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Com o fim desta epidemia, a República Democrática do Congo provou mais uma vez ao mundo que podemos controlar o vírus muito mortal do ebola se respondemos com antecedência, de forma coordenada e eficiente”, disse Tedros Adhanom Ghebreyesus, o novo diretor-geral da OMS.

Um recente surto do vírus ebola na República Democrática do Congo (RDC) acabou, informou no início de julho (2) a agência de saúde das Nações Unidas, acrescentando que uma vigilância aprimorada para o vírus continua.

O anúncio ocorre 42 dias desde que o último paciente confirmado de ebola, na província de Bas-Uélé, teve resultado negativo para a doença pela segunda vez.

“Com o fim desta epidemia, a RDC provou mais uma vez ao mundo que podemos controlar o vírus muito mortal do ebola se respondemos com antecedência, de forma coordenada e eficiente”, disse Tedros Adhanom Ghebreyesus, o novo diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Pelo menos quatro pessoas morreram, e mais de 580 foram registradas e monitoradas de perto depois de terem entrado em contato com o vírus, informou a agência da ONU.

O vírus surgiu em Likati, segundo a OMS “uma área remota e difícil de alcançar”, na fronteira com a República Centro-Africana e outras províncias da RDC.

As autoridades da ONU disseram que a resposta foi “eficaz” e elogiaram “o alerta ágil das autoridades locais de casos suspeitos, os testes imediatos de amostras de sangue devido ao fortalecimento da capacidade nacional laboratorial, o anúncio precoce do surto pelo governo, bem como as atividades de resposta rápida por parte das autoridades locais e nacionais de saúde, com o apoio robusto de parceiros internacionais e o acesso rápido a financiamentos flexíveis”.

Funcionários nacionais continuam a investigar o vírus e fornecer cuidados médicos a pessoas que possam ter entrado em contato com o ebola.

Este foi o oitavo surto de ebola na RDC, onde o vírus foi descoberto, em 1976.

Likati é uma das áreas em que o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) vem prestando apoio técnico às autoridades locais, para ajudá-los a divulgar informações úteis para salvar vidas, sobre ebola, às populações locais.

Em coordenação com a OMS, o UNICEF também treinou as pessoas sobre como usar o cloro e desinfetar as casas para evitar a disseminação do vírus, além de treinar a população sobre como lavar as mãos corretamente e reduzir a contaminação, adaptando as práticas locais de enterros.


Mais notícias de:

Comente

comentários