OMS alerta para risco de jovens contraírem o novo coronavírus

Jovens que contraírem o novo coronavírus podem morrer da doença. O alerta é da Organização Mundial da Saúde (OMS) que diz que a juventude deve levar a sério a quarentena evitando aglomerações, contatos com outros e, principalmente, contaminar os mais velhos e vulneráveis.

A juventude não é invencível, alerta chefe da Organização Mundial da Saúde. Foto: ONU

A juventude não é invencível, alerta chefe da Organização Mundial da Saúde. Foto: ONU

Jovens que contraírem o novo coronavírus podem morrer da doença. O alerta é da Organização Mundial da Saúde (OMS) que diz que a juventude deve levar a sério a quarentena evitando aglomerações, contatos com outros e, principalmente, contaminar os mais velhos e vulneráveis.

O diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, declarou em entrevista coletiva virtual na última sexta-feira (20), em Genebra, que os jovens não são invencíveis e que o vírus pode levá-los a internação por semanas ou até matá-los. Ghebreyesus enfatizou que mesmo estando assintomáticos, as escolhas dos jovens podem fazer a diferença entre a vida e a morte.

De acordo com a OMS, mais de 210 mil pessoas já foram infectadas pela COVID-19 no mundo e mais de 9 mil morreram.

Durante a coletiva virtual, o especialista em emergências da OMS, Mike Ryan, destacou que os esforços de combate ao vírus enfrentam uma escassez de equipamentos de proteção para profissionais de saúde e testes de diagnóstico. Segundo ele, serão necessárias “pontes aéreas” para levar suprimentos essenciais aos países para serem entregues a profissionais de saúde.

Ainda de acordo com a OMS, a China não relatou nenhum caso novo do COVID-19, o que dá esperança ao resto do mundo no combate à pandemia. Pela primeira vez, a cidade de Wuhan não registrou qualquer infeção pelo vírus em 24 horas desde que o primeiro caso foi registrado em dezembro de 2019.