OMS afirma que surto de ebola ainda é uma emergência global, apesar de queda significativa nos casos

Embora reconhecendo os progressos alcançados, Organização diz que não há lugar para comemoração e enfatizou importância de envolver a comunidade africana na meta apoiada pela ONU de zerar casos de contágio.

 Ação contra o ebola em Freetown, Serra Leoa. Foto: OMS/D. Licona

Ação contra o ebola em Freetown, Serra Leoa. Foto: OMS/D. Licona

A quinta reunião do Comitê de Emergência sob o Regulamento Sanitário Internacional (RSI) da Organização Mundial da Saúde (OMS) confirmou, na última quinta-feira (9) que o surto de ebola na África Ocidental ainda representa uma ameaça à paz e segurança internacionais, apesar de uma grande queda da incidência no caso e distribuição geográfica nos países mais afetados — Libéria, Serra Leoa e Guiné.

O Comitê analisou a evolução do vírus desde a sua última reunião em 20 de janeiro, notando melhorias nas atividades de prevenção e controle de toda a África Ocidental. Observando declínios na Libéria, Serra Leoa e Guiné, o vírus parece ter reduzido a sua propagação.

Embora reconhecendo os progressos alcançados pelos três países, o Comitê enfatizou que não há lugar para satisfação, e reforçou a importância do envolvimento da comunidade na meta apoiada pela ONU de “chegar a zero” casos de contágio.

Também enfatizou a importância da vigilância nas fronteiras, que deve ser mantida até 42 dias após o último caso registrado nos países afetados pelos vírus.