OMPI oferece treinamento sobre patentes a instrutores de países africanos

A Organização Mundial de Propriedade Intelectual (OMPI) organizou um seminário sobre o Tratado de Cooperação em Matéria de Patentes em seu escritório no Rio de Janeiro no início de maio (de 2 a 4). O objetivo foi formar instrutores de países africanos que têm o português como língua oficial para que eles possam desenvolver atividades de divulgação em suas nações de origem.

A Organização Mundial de Propriedade Intelectual (OMPI) organizou um seminário sobre o Tratado de Cooperação em Matéria de Patentes em seu escritório no Rio de Janeiro. Foto: OMPI

A Organização Mundial de Propriedade Intelectual (OMPI) organizou um seminário sobre o Tratado de Cooperação em Matéria de Patentes em seu escritório no Rio de Janeiro. Foto: OMPI

A Organização Mundial de Propriedade Intelectual (OMPI) organizou um seminário sobre o Tratado de Cooperação em Matéria de Patentes em seu escritório no Rio de Janeiro no início de maio (de 2 a 4). O objetivo foi formar instrutores de países africanos que têm o português como língua oficial para que eles possam desenvolver atividades de divulgação em suas nações de origem.

Além dos participantes de Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe, quatro examinadores de patentes do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) participaram do seminário, como parte do esforço geral do instituto de aumentar a capacidade nacional nesta área.

Na cerimônia de abertura do evento, o diretor regional da OMPI no Brasil, José Graça Aranha, e o diretor de patentes do INPI, Júlio Cesar Moreira, incentivaram os participantes a promover o INPI como uma autoridade internacional de pesquisa e exame preliminar (ISA/IPEA) do tratado em seus países.


Comente

comentários