OIT: trabalho decente é melhor forma de jovens realizarem suas aspirações

“O acesso ao trabalho decente e produtivo é a melhor maneira para os jovens realizarem suas aspirações, melhorarem suas condições de vida e participarem ativamente da sociedade”, disse o diretor-geral da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Guy Ryder, para a ocasião do Dia Internacional da Juventude, comemorado no último dia 12.

O trabalho decente para os jovens surge na convergência de direitos e oportunidades, segundo o diretor-geral da OIT. Foto: Salvador Scofano/Fotos Públicas

O trabalho decente para os jovens surge na convergência de direitos e oportunidades, segundo o diretor-geral da OIT. Foto: Salvador Scofano/Fotos Públicas

O trabalho decente para a juventude reforça as economias e cria um grupo de jovens consumidores, poupadores e produtores, disse na semana passada o diretor-geral da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Guy Ryder, na ocasião do Dia Internacional da Juventude.

“O acesso ao trabalho decente e produtivo é a melhor maneira para os jovens realizarem suas aspirações, melhorarem suas condições de vida e participarem ativamente da sociedade”, disse ele em comunicado.

“Hoje nós celebramos sua liderança para garantir padrões de consumo e produção sustentáveis. No entanto, sua criatividade e liderança dependem de oportunidades para alcançar empregos plenos e produtivos e trabalho decente para todos, um objetivo fundamental e transversal da Agenda (2030 para o Desenvolvimento Sustentável).”

Segundo Ryder, há muitos exemplos de jovens assumindo papel de liderança na busca e implementação de soluções sustentáveis, enquanto abordam o desafio do emprego juvenil.

Ele citou como exemplo Oren Tamba, de Koindu, cidade na Serra Leoa que foi dizimada pela guerra civil. Em 2012, ele ofereceu uma solução empresarial que iria transformar a produção e o consumo de água limpa por meio de práticas sustentáveis e responsáveis.

Oren treinou outros 12 jovens em reparação de poços, purificação e empacotamento de água, habilidades de negócios e competências pessoais. Ele comercializou o serviço e as comunidades receberam bem a ideia. Com o apoio da OIT, a ideia de negócio de Oren tornou-se uma cooperativa de jovens formalizada.

Hoje, depois de quatro anos de funcionamento, a cooperativa continua trazendo água limpa para Koindu e para o outro lado da fronteira, na Guiné e na Libéria, ao mesmo tempo em que reforça os meios de subsistência e as oportunidades para os jovens conquistarem um futuro melhor e mais sustentável, disse Ryder.

“Oren é apenas um dos milhões de jovens mulheres e homens que, em sua busca por trabalho decente, têm ampliado as perspectivas de emprego para outros jovens, melhorando os padrões de produção e consumo ao seu redor”, declarou.

“Sua inovação, espírito empreendedor e força de vontade já estão fazendo uma diferença positiva no dia a dia de muitos, com melhor acesso a serviços básicos, infraestrutura sustentável e soluções que promovem o uso eficiente de recursos e energia”.

O trabalho decente para os jovens surge na convergência de direitos e oportunidades, segundo o diretor-geral da OIT. “Ele garante que jovens mulheres e homens possam levantar suas vozes e exercer sua liderança, hoje e amanhã”.