OIT elogia compromisso dos BRICS de impulsionar crescimento e trabalho decente

Organização Internacional do Trabalho (OIT) elogiou declaração conjunta dos ministros de Trabalho e Emprego dos BRICS — Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul — emitida nesta semana com compromisso de impulsionar políticas de geração de emprego, formalização dos mercados de trabalho e proteção social.

Em declaração conjunta, ministros dos países dos BRICS se comprometeram a impulsionar políticas de geração de emprego e proteção social. Foto: Governo de Sergipe

Em declaração conjunta, ministros dos países dos BRICS se comprometeram a impulsionar políticas de geração de emprego e proteção social. Foto: Governo de Sergipe

O diretor-geral da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Guy Ryder, elogiou a declaração conjunta dos ministros de Trabalho e Emprego dos países dos BRICS — Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul — no fim de sua segunda cúpula em Nova Déli na quarta-feira (28).

Falando a participantes no segundo dia da cúpula, o chefe da OIT cumprimentou particularmente os compromissos feitos em áreas como geração de emprego, formalização dos mercados de trabalho e proteção social.

“As três áreas são pilares para a retomada da atual desaceleração econômica, para a promoção do crescimento inclusivo e desenvolvimento, e para conquistar a Agenda 2030”, disse.

Ele apoiou particularmente o trecho da declaração que citava a necessidade “imperativa” de impulsionar o trabalho, o emprego e questões sociais por meio do crescimento forte, sustentável e inclusivo.

Nesse contexto, o diretor-geral da OIT insistiu no valor das soluções coletivas no atual contexto de baixo crescimento. Ele enfatizou que, com a força de trabalho dos BRICS representando 45% da força de trabalho mundial — essas soluções poderiam ter impacto positivo significativo na economia mundial como um todo.

Ryder também afirmou que os países dos BRICS têm histórico bem sucedido de políticas inovadoras para gerar emprego e reduzir a pobreza. Ele citou particularmente políticas de garantia de emprego, de ampliação das proteções sociais, incluindo sistemas de transferência de renda, assim como boas práticas na redução da informalidade e na criação de caminhos sustentáveis para a transição à formalidade.

O diretor-geral da OIT também lembrou a parte da declaração que trata das mudanças tecnológicas e estruturais. Ele elogiou a decisão de estabelecer uma rede de pesquisa laboral e instituições de treinamento nos países dos BRICS e prometeu apoio da OIT para este projeto.

Declaração

A segunda cúpula de ministros de Trabalho e Emprego dos BRICS, ocorrida esta semana em Nova Déli, emitiu uma declaração final afirmando que os países-membros irão focar na geração de emprego, na formalização do mercado de trabalho e na proteção social, em um cenário de desaceleração do crescimento.

“Os empregos com qualidade têm um papel central em garantir o desenvolvimento sustentável e está no centro da Agenda 2030”, disseram os ministros na declaração emitida na quarta-feira.

Segundo o documento, é prioridade para os BRICS promover inclusão e a maior igualdade no mercado de trabalho, assim como a geração de oportunidades de emprego adequadas e produtivas, salários justos e proteção social adequada para todos.

Leia aqui a declaração dos ministros dos BRICS.