OIT, Brasil e Mali firmam acordo para promover trabalho decente na cadeia do algodão

O projeto foi lançado em uma cerimônia com a presença de autoridades dos governos de Mali e do Brasil e de representantes da OIT. Foto: OIT

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) assinou na segunda-feira (3) em Bamako um acordo de cooperação com o governo do Mali e do Brasil sob o Projeto Algodão com Trabalho Decente.

A iniciativa tem como alvo pequenos agricultores, e busca promover o trabalho decente na cadeia produtiva da fibra no país africano, por meio de sistematização, compartilhamento e adaptação de experiências brasileiras de combate ao trabalho infantil por meio da inspeção do trabalho.

A Agência Brasileira de Cooperação (ABC), do Ministério das Relações Exteriores, e a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho (SEPRT), do Ministério da Economia, representaram o governo brasileiro.

O projeto foi lançado em cerimônia com a presença de autoridades dos governos de Mali e do Brasil e de representantes da OIT. Na ocasião, também foi aberta a primeira reunião do Comitê de Acompanhamento do Projeto-País Mali (CAP).

Entre outras funções, o CAP será responsável por supervisionar e avaliar o projeto, com o objetivo de implementar uma gestão compartilhada baseada em resultados e de aprimorar o intercâmbio de conhecimento no âmbito da Cooperação Sul-Sul Trilateral.

“Esta cooperação fortalece efetivamente a relação política e econômica entre nossos países, por meio da transferência de técnicas e de conhecimentos”, disse o Ministro do Diálogo Social, Trabalho, Serviço Público do Mali, Hamadoun Dicko.

A OIT implementa o Projeto Algodão com Trabalho Decente – Cooperação Sul-Sul nos países produtores de algodão de África e América Latina com a ABC e o Instituto Brasileiro do Algodão (IBA). A iniciativa é desenvolvida em parceria com cinco países produtores da fibra: Paraguai, Peru, Mali, Moçambique e Tanzânia.

“Na ocasião do lançamento do projeto-país Mali, a ABC ressalta a importância de compartilhar a experiência brasileira na inspeção do trabalho na luta contra o trabalho infantil”, disse a representante da ABC, Mônica Salmito.

“Essa iniciativa de Cooperação Sul-Sul do Brasil e do Mali, em parceria com a OIT, visa sobretudo contribuir para desenvolver capacidades malineses para atuarem na cadeia produtiva do algodão, com foco em pequenos produtores, de modo a conscientizar as famílias e arregimentar soluções para promoção do trabalho decente e digno no Mali.”

“Temos a certeza que este projeto de Cooperação Sul-Sul contribuirá com os esforços da OIT, do Brasil e do Mali para acelerar as ações para a consecução da meta 8.7 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável para erradicação do trabalho infantil nestes países”, declarou a coordenadora do Programa de Cooperação Sul-Sul Brasil-OIT, Fernanda Barreto.

Ainda durante a missão ao Mali, entre os dias 5 e 7 de fevereiro, um auditor fiscal do trabalho brasileiro da SEPRT ministrará uma oficina técnica de capacitação para 30 inspetores e inspetoras do trabalho malineses que atuam em regiões produtoras de algodão no país.

A oficina abordará técnicas para identificar seus déficits no trabalho decente, temas como saúde e segurança e o monitoramento de trabalho infantil no país. O objetivo da troca de conhecimento é capacitar especialistas malinenses para possam compartilhar o conhecimento técnico adquirido e treinar seus colegas.

A missão técnica ao Mali é organizada pela OIT, em parceria com a SEPRT, do Ministério da Economia, a ABC, do MRE, e o governo do Mali.