OIM realiza em São Paulo primeira oficina de formação sobre emigração e retorno

Nos dias 21 e 22 de outubro, a Organização Internacional para as Migrações (OIM) realiza a primeira oficina de formação para multiplicadores sobre o tema de emigração e retorno, em São Paulo (SP). A capacitação é destinada a parceiros da Rede de Referenciamento no Apoio e Reintegração de Brasileiros Retornados, formada por entidades públicas, privadas e ONGs de São Paulo, Minas Gerais e Goiás, os principais estados de destino dos brasileiros retornados apoiados pela OIM.

A atividade vem em complemento à atuação da OIM de apoio ao retorno dos brasileiros que se encontram em situação de vulnerabilidade no exterior. Nos últimos três anos, foram mais de 2 mil beneficiários, muitos dos quais receberam apoio direto para sua reintegração por meio da abertura de pequenos negócios, tratamentos de saúde ou educação profissionalizante.

O objetivo da capacitação é sensibilizar atores locais e parceiros para a questão do retorno, de modo que os brasileiros que regressaram ao país possam contar com uma rede mais ampla de serviços e iniciativas de seu interesse. Foto: OIM

O objetivo da capacitação é sensibilizar atores locais e parceiros para a questão do retorno, de modo que os brasileiros que regressaram ao país possam contar com uma rede mais ampla de serviços e iniciativas de seu interesse. Foto: OIM

Nos dias 21 e 22 de outubro, a Organização Internacional para as Migrações (OIM) realiza a primeira oficina de formação para multiplicadores sobre o tema de emigração e retorno, em São Paulo (SP). A capacitação é destinada a parceiros da Rede de Referenciamento no Apoio e Reintegração de Brasileiros Retornados, formada por entidades públicas, privadas e ONGs de São Paulo, Minas Gerais e Goiás, os principais estados de destino dos brasileiros retornados apoiados pela OIM.

A atividade vem em complemento à atuação da OIM de apoio ao retorno dos brasileiros que se encontram em situação de vulnerabilidade no exterior. Nos últimos três anos, foram mais de 2 mil beneficiários, muitos dos quais receberam apoio direto para sua reintegração por meio da abertura de pequenos negócios, tratamentos de saúde ou educação profissionalizante.

O objetivo da capacitação é sensibilizar atores locais e parceiros para a questão do retorno, de modo que os brasileiros que regressaram ao país possam contar com uma rede mais ampla de serviços e iniciativas de seu interesse. Para isso, serão debatidos, durante os dois dias, uma série de temas, como reintegração econômica e social, dados sobre emigração no Brasil, e os aspectos psicossociais da migração de retorno.

“No âmbito desta realidade pouco discutida ainda no Brasil, a oficina de formação de multiplicadores irá reunir atores importantes como os governos de São Paulo, Minas Gerais e Goiás, o SEBRAE, a Defensoria Pública da União, o Observatório das Migrações, entre outros, e será um momento de reflexão para podermos começar a trabalhar em conjunto com o objetivo de facilitar a reintegração de brasileiros retornados”, afirma a coordenadora do projeto pela OIM em Lisboa, Bárbara Borrego.

A oficina realizada em São Paulo será a primeira formação para os parceiros da rede. Outras devem ocorrer em Goiás e Minas Gerais, com atores locais que desempenham papel relevante na reinserção social destes migrantes.

Reintegração

Visando promover um processo de reintegração mais informado e sustentável no Brasil, a OIM iniciou em 2019 o Mecanismo Complementar Comum para uma Reintegração Sustentável (SURE, na sua sigla em inglês).

O projeto, com duração até dezembro de 2020, visa beneficiar brasileiros que retornam ao país apoiados pelos programas de Apoio ao Retorno Voluntário e à Reintegração, já existentes e implementados pela OIM em Portugal, Irlanda e Bélgica.

Este projeto é financiado pelo Fundo para o Asilo, Migração e Integração (FAMI) e co-financiado pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras de Portugal (SEF).

Saiba mais sobre o Apoio ao Retorno Voluntário e à Reintegração – OIM