OIM e Cáritas trabalham juntas para apoiar a integração econômica de migrantes no Paraná

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) e a Cáritas Brasileira Regional Paraná assinam acordo para promover a inserção econômica e laboral de migrantes vulneráveis, incluindo venezuelanos, no estado do Paraná. O projeto pretende beneficiar 400 migrantes em três frentes principais de ação: capacitação profissional, empreendedorismo e economia solidária.

Esta iniciativa é realizada no marco do projeto “Oportunidades – Integração no Brasil”, implementado pela OIM e realizado com o financiamento da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID).

OIM e Cáritas Brasileira Regional Paraná trabalham juntas para apoiar a integração econômica de migrantes vulneráveis no Paraná. Foto: OIM

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) e a Cáritas Brasileira Regional Paraná irão implementar juntas um projeto para promover a inserção econômica e laboral de migrantes vulneráveis, incluindo venezuelanos, no estado do Paraná. O acordo entre as duas entidades foi assinado em abril e terá nove meses de duração.

O projeto pretende beneficiar 400 migrantes em três frentes principais de ação: capacitação profissional, com o financiamento de cursos profissionalizantes em parcerias com diferentes instituições de ensino; empreendedorismo, por meio de formação e apoio financeiro para abertura de pequenos negócios; e economia solidária.

O chefe de missão da OIM no Brasil, Stéphane Rostiaux, explicou que através destas ações a OIM pretende contribuir para a integração econômica a longo prazo dos migrantes e reforçar o impacto positivo que eles trazem para as empresas e a comunidade local com suas experiências e cultura. “Para muitas pessoas, a pandemia da COVID-19 também traz um forte impacto econômico e iniciativas como essa, que fortalecem a realização de atividades laborais, são fundamentais”, completou o chefe de missão da OIM.

Durante a pandemia da COVID-19, parte das atividades deste projeto, como treinamentos e capacitações, será feita de maneira virtual, respeitando as recomendações de distanciamento social. Outras atividades presenciais serão realizadas após o período de pandemia.

As aulas já começaram para o venezuelano Francisco R, enfermeiro socorrista em seu país de origem. Ele está inscrito em uma formação a distância sobre avaliação multidimensional da pessoa idosa e segue motivado com o aprendizado. “É uma ótima oportunidade para seguir me aprimorando, especialmente nesse período de isolamento social. Permaneço em casa e sigo com a minha capacitação”, contou o venezuelano.

A secretária-executiva da Cáritas Brasileira Regional Paraná, Marcia Ponce, afirmou que a iniciativa possibilitará um importante recomeço pós-pandemia para as pessoas migrantes que se mantinham do trabalho informal. “Após essa fase de isolamento social, será preciso retomar as atividades e o projeto será um apoio importante para essas pessoas”, ressaltou a secretária-executiva da Cáritas.

Esta iniciativa é realizada no marco do projeto “Oportunidades – Integração no Brasil”, implementado pela OIM e realizado com o financiamento da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID). O projeto visa apoiar o governo brasileiro, nas suas diferentes esferas, na integração econômica de venezuelanos e migrantes de países vizinhos ao Brasil que estejam em situação de vulnerabilidade no país.