Oficiais da ONU condenam tentativa de golpe na Turquia

O presidente da Assembleia Geral das Nações Unidas condenou no sábado (16) a tentativa de derrubada do governo turco na sexta-feira (15).

“Condeno fortemente a tentativa de grupos das forças armadas de derrubar o governo da Turquia e expresso minhas sinceras condolências pelas vidas perdidas durante a tentativa de golpe”, disse o presidente da Assembleia Geral, Mogens Lykketoft, em comunicado emitido por seu escritório.

Parte do exército turco promoveu uma tentativa de golpe de Estado na sexta-feira (15), segundo relatos da imprensa internacional. Foto: EBC

Parte do exército turco promoveu uma tentativa de golpe de Estado na sexta-feira (15), segundo relatos da imprensa internacional. Foto: EBC

O presidente da Assembleia Geral das Nações Unidas condenou no sábado (16) a tentativa de derrubada do governo turco na sexta-feira (15).

“Condeno fortemente a tentativa de grupos das forças armadas de derrubar o governo da Turquia e expresso minhas sinceras condolências pelas vidas perdidas durante a tentativa de golpe”, disse o presidente da Assembleia Geral, Mogens Lykketoft, em comunicado emitido por seu escritório.

De acordo com relatos da imprensa, uma facção das forças militares na Turquia promoveram uma tentativa de golpe na sexta-feira à noite.

“A comunidade internacional precisa apoiar totalmente o governo eleito democraticamente e o Estado de direito na Turquia”, disse Lykketoft.

Em comunicado separado, o representante da Aliança de Civilizações da ONU (UNAOC), Nassir Abdulaziz Al-Nasser, condenou o “golpe frustrado que pretendia derrubar na sexta-feira o governo legítimo da Turquia”

“Ele expressou seu apoio ao governo civil da Turquia eleito democraticamente e à liderança legítima do presidente turco Recep Tayyip Erdogan”, disse o comunicado.

O representante disse ainda que o governo da Turquia apoia a UNAOC, uma iniciativa política do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, sob o patrocínio dos governos de Espanha e Turquia.

Al-Nasser também expressou sua solidariedade com o povo da Turquia e sua “escolha pela democracia”.

Na sexta-feira (15), o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, já havia divulgado nota afirmando estar acompanhando “atentamente e com preocupação” os desenvolvimentos em “rápido movimento” no país.

“Neste momento de incerteza no país, o secretário-geral apela à calma, à não violência e à contenção. A preservação dos direitos fundamentais, incluindo a liberdade de expressão e reunião, continuam a ser de vital importância”, disse a nota divulgada por seu porta-voz.