OCHA tem apenas 45% da ajuda humanitária na Síria financiada

“Estamos revendo nossos planos de contingência, bem como a atualização do Plano de Resposta para Assistência Humanitária a Síria”, disse o coordenador da ajuda no país.

Coordenador Regional Humanitário para a Síria, Radhouane Nouicer (ONU)Novos métodos para alcançar e atender a população síria são necessários já que a situação no país do Oriente Médio continua a se deteriorar em uma base diária, disse hoje (3) o Coordenador Humanitário Regional da ONU para a Síria, Radhouane Nouicer, em um comunicado de imprensa do Escritório da ONU para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA).

O Plano de Resposta para o país previa captar 348 milhões de dólares para cobrir atividades de ajuda humanitária no interior da Síria, mas, até agora, recebeu 157 milhões de dólares, o que corresponde a 45% do necessário.

Estamos revendo nossos planos de contingência, bem como a atualização do Plano de Resposta para Assistência Humanitária a Síria”, acrescentou Nouicer. “Acima de tudo, precisamos de um fim da violência implacável. Todas as chamadas, a partir de todos os lados, para que as partes cumpram as suas obrigações de proteger os civis na Síria tiveram pouco efeito, e as pessoas comuns estão pagando o preço”.

Apesar das circunstâncias difíceis, a ONU e seus parceiros têm feito progressos reais no país. O comunicado informa que  o Escritório chega a 1,5 milhão de pessoas com alimentos em uma base mensal, realizando a distribuição de itens básicos de socorro para mais de 300 mil famílias. “Embora isto ainda não seja o suficiente, precisamos manter a dinâmica, em nome de todos os sírios em necessidade”.

Uma missão recente do Escritório do Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (ACNUR) para a cidade de Homs, na parte ocidental do país, encontrou condições terríveis, com pessoas deslocadas em abrigos inadequados e falta de cuidados de saúde. O início do inverno também é uma preocupação principalmente para as agências humanitárias, já que as temperaturas devem diminuir perto do ponto de congelamento neste mês.