Obras da representante do UNFPA retratam trajetórias inspiradoras de mulheres

Colagens que refletem a vida de mulheres capazes de mudar suas trajetórias e o mundo estarão expostas durante o mês de março, por ocasião do Dia Internacional da Mulher, na Casa da ONU, prédio Lélia Gonzalez, em Brasília (DF). As obras são de autoria da artista plástica e representante do Fundo de População das Nações Unidas no Brasil (UNFPA), Astrid Bant.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Colagens que refletem a vida de mulheres capazes de mudar suas trajetórias e o mundo estarão expostas durante o mês de março, por ocasião do Dia Internacional da Mulher, na Casa da ONU, prédio Lélia Gonzalez, em Brasília (DF). As obras são de autoria da artista plástica e representante do Fundo de População das Nações Unidas no Brasil (UNFPA), Astrid Bant.

As obras retratam, por meio de múltiplas camadas, como é de praxe na técnica de colagem, várias mulheres que viveram restrições para atingir seus potenciais, mas ainda assim alcançaram realizações corajosas. São retratadas figuras históricas, como Frida Kahlo, e outras anônimas, como todas as mulheres indígenas e afrodescendentes que se autolibertaram da escravidão.

“Essas colagens dialogam diretamente com o potencial de realização das figuras femininas ao longo da história, que muitas vezes não foi alcançado, e como é importante deixar que elas se libertem e sejam donas de seus corpos, suas vidas e seus destinos”, afirma Astrid Bant.