Objetivos Globais: ‘Só descansaremos quando alcançarmos a fome zero mundial’, afirma chefe da FAO

Após aprovação dos novos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, o brasileiro José Graziano da Silva explicou que a meta agora não se resume a reduzir a fome, mas eliminá-la do planeta e não deixar ninguém para trás.

Menina em Guaribas, no sul do Piauí, cidade escolhida para lançar o programa Fome Zero em 2003 no Brasil. Foto: Agência Brasil

Menina em Guaribas, no sul do Piauí, cidade escolhida para lançar o programa Fome Zero em 2003 no Brasil. Foto: Agência Brasil

A segurança alimentar, a nutrição e a agricultura sustentável são fundamentais para alcançar as metas propostas nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) até 2030, afirmou o diretor-geral da Organização para Alimentação e Agricultura (FAO), o brasileiro José Graziano da Silva, durante o seu discurso em plenária da ONU, nesta sexta-feira (25).

“Temos uma tarefa enorme, que começa com o compromisso histórico de não apenas reduzir, mas erradicar a pobreza, a fome e a desnutrição de maneira sustentável, porque quando falamos de um mundo sustentável, não podemos deixar ninguém para trás”, destacou Graziano, durante sua intervenção na Cúpula Mundial sobre o Desenvolvimento Sustentavel 2015.

O diretor-geral lembrou que 14 dos 17 novos ODS estão relacionados com a missão da FAO e afirmou que quanto mais cedo o mundo consiga alcançar o segundo Objetivo – acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável – mais rápido será o cumprimento de muitos outros associados.

“Só podemos descansar quando conseguirmos a fome zero”, disse o brasileiro, ressaltando que é necessário um investimento de 160 dólares anuais por pessoa vivendo em situação extrema para alcançar esse objetivo.