Obesidade e outras formas de desnutrição afetam 1 em cada 3 pessoas no mundo

A obesidade e outras formas de desnutrição afetam uma em cada três pessoas no mundo. As projeções indicam que essa proporção será de uma em cada duas em 2025, segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

O relatório mais recente da FAO mostrou que a fome afetava 821 milhões de pessoas no mundo em 2017. Já a obesidade atingia 672 milhões de adultos, 124 milhões de crianças e adolescentes (de 5 a 19 anos) e 40 milhões de crianças com menos de 5 anos, segundo dados referentes a 2016.

No Brasil, enquanto a fome atinge menos de 2,5% da população, a obesidade já afeta quase 20% dos brasileiros. Em algumas regiões, como o Nordeste, outras facetas da má nutrição persistem — a desnutrição infantil, por exemplo, segue acima dos 5%.

Segundo a OPAS/OMS, evidências científicas recentes apontam que medidas regulatórias têm impacto na prevenção e controle da obesidade. Foto: EBC

Segundo a OPAS/OMS, evidências científicas recentes apontam que medidas regulatórias têm impacto na prevenção e controle da obesidade. Foto: EBC

A obesidade e outras formas de desnutrição afetam uma em cada três pessoas no mundo. As projeções indicam que essa proporção será de uma em cada duas em 2025, segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

O relatório mais recente da FAO mostrou que a fome afetava 821 milhões de pessoas no mundo em 2017. Já a obesidade atingia 672 milhões de adultos, 124 milhões de crianças e adolescentes (de 5 a 19 anos) e 40 milhões de crianças com menos de 5 anos, segundo dados referentes a 2016.

No Brasil, enquanto a fome atinge menos de 2,5% da população, a obesidade já afeta quase 20% dos brasileiros. Em algumas regiões, como o Nordeste, outras facetas da má nutrição persistem — a desnutrição infantil, por exemplo, segue acima dos 5%.

O alerta é feito no Dia Mundial da Alimentação, lembrado nesta quarta-feira (16). A data tem como objetivo renovar a urgência com o compromisso com a Agenda 2030
e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), especialmente a erradicação da pobreza e da fome.

O Dia Mundial da Alimentação deste ano também marca o aniversário de 74 anos da FAO. Este ano, a campanha tem como tema: “Nossas ações representam o nosso futuro: dietas saudáveis para um mundo fome zero”.

Obesidade no mundo e no Brasil

Durante o evento do Dia Mundial da Alimentação 2019, a procuradora-geral do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, Fabiana Barreto, manifestou preocupação com o aumento dos índices de sobrepeso e obesidade no Brasil. “É necessário o desenvolvimento de políticas públicas efetivas”, declarou.

Para Ruy Pereira, diretor da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), as taxas de sobrepeso e obesidade no Brasil são alarmantes. “É um tema que merece uma aproximação não somente agrícola, mas do ponto de vista de saúde pública.”

Welligton Coimbra, secretário especial de Desenvolvimento Social do Ministério da Cidadania, disse que o Dia Mundial da Alimentação reafirma o “compromisso com sistemas de alimentação saudáveis, com a segurança alimentar e nutricional e com o direito à alimentação adequada”. Segundo ele, o Brasil saiu do mapa da fome, mas é preciso seguir com os esforços de combate a esse flagelo.

O presidente em exercício da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), Cleber Soares, ressaltou a relevância da produção de alimentos para abastecer a população.

Já o secretário de Aquicultura e Pesca do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Jorge Seif Junior, falou sobre o papel do Brasil como um dos grandes produtores mundiais de alimentos e sobre a importância da agricultura familiar.

Concurso Mulheres Rurais

Durante o evento, também foi lançado o concurso nacional: “Inovar para mudar – a autonomia das mulheres rurais e sua contribuição para reduzir a pobreza e a insegurança alimentar”, que integra as atividades da campanha regional #MulheresRurais, Mulheres com Direitos.

O concurso tem por objetivo destacar soluções empreendidas por mulheres e dar visibilidade às atuais conquistas e aos futuros desafios que elas enfrentam para reduzir a pobreza rural e garantir a segurança alimentar e nutricional.

As inscrições vão até 15 de janeiro de 2020. As participantes e/ou suas organizações deverão preencher o formulário online disponível nos sites: http://www.agricultura.gov.br/mulheresrurais ou da Moeda Seeds: http://www.moedaseeds.com.

O concurso é coordenado pela Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo do MAPA, em parceria com FAO, ONU Mulheres e outras instituições.