O desafio dos indígenas no Peru

O Peru, com uma população de aproximadamente 30 milhões de pessoas, é 70% urbana, sendo que 40% destes residem em Lima. Isso reflete uma migração urbana alta, especialmente de povos indígenas andinos e amazônicos, atingindo seu ápice durante o conflito armado interno na década de 1980.

Luis, de um ano de idade, e sua mãe, Maria Broncano Mejia, são indígenas Quechua que vivem na comunidade andina de Llacuash, no Peru. Crédito da foto: UNICEF/NYHQ2011-1599/LeMoyne (24/10/2011)

Luis, de um ano de idade, e sua mãe, Maria Broncano Mejia, são indígenas Quechua que vivem na comunidade andina de Llacuash, no Peru. A foto é de 2011.

Crianças indígenas continuam a enfrentar acesso desigual aos serviços básicos. O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) está trabalhando com o Governo para garantir que mais crianças indígenas sejam legalmente registradas como cidadãs, permitindo-lhes que se inscrevem na escola e acessem serviços nacionais de saúde.

O Peru, com uma população de aproximadamente 30 milhões de pessoas, é 70% urbana, sendo que 40% destes residem em Lima. Isso reflete uma migração urbana alta, especialmente de povos indígenas andinos e amazônicos, atingindo seu ápice durante o conflito armado interno na década de 1980.

O medo prolongado, agravado por níveis relativamente baixos de investimento e desenvolvimento nas regiões rurais, contribui para a contínua migração rural-urbana. Segundo dados do UNICEF, a população deverá ser 74% urbana até 2013. Crianças e adolescentes menores de 18 anos representam 37% da população, enquanto as crianças menores de 5 anos representam 12%.

Em média, a desnutrição crônica caiu de 22,6% em 2007 para 17,9% em 2010. No entanto, as taxas chegam a 60% em algumas regiões rurais indígenas.

Conheça o documento do UNICEF com o programa para o país até 2016: http://uni.cf/13uZRIk

Crédito da foto: UNICEF/NYHQ2011-1599/LeMoyne (24/10/2011)